Tribuna Expresso

Perfil

Seleção

Gregerson, o veterano das Ilhas Faroé: “Perguntem à Grécia como se sentiram depois de perderem connosco”

Já o selecionador da equipa principal de futebol das Ilhas Faroé, Lars Olsen, acredita que sua equipa pode travar Portugal na partida de quinta-feira, da sétima jornada do grupo B de qualificação para o campeonato do mundo da Rússia

Lusa

FRANCISCO LEONG

Partilhar

O técnico da formação nórdica considerou que um bom resultado para a sua equipa "seria ganhar", mas reconheceu que o seu conjunto terá muitas dificuldades para tal.

"No jogo da primeira volta perdemos por 6-0, o que não foi um bom resultado. Faremos tudo desta vez para poder ganhar, mas sabemos que Portugal é uma grande equipa, o atual campeão europeu, e temos de dar o máximo", sublinhou o técnico.

Uma vez que as Ilhas Faroé já enfrentaram, também, a Suíça, que atualmente lidera o grupo B, tendo perdido por 2-0, Lars Olsen foi questionado qual a melhor formação do grupo, considerando que ambos os conjuntos "são os mais fortes".

"Julgo que o vencedor do grupo será uma destas duas equipas, e que a decisão vai acontecer quando a Suíça jogar em Portugal", opinou.

Sobre as formas para travar Cristiano Ronaldo na partida, que se disputa no Estádio do Bessa, no Porto, o selecionador das Ilhas Faroé afirmou que a sua equipa terá "uma atenção especial" ao capitão de Portugal.

"Todos os treinadores sabem que o Cristiano é um dos melhores do mundo e tentam pará-lo, e nós tentaremos a mesma coisa", disse.

Lars Olsen lembrou que metade dos jogadores que trouxe até Portugal jogam no campeonato das Ilhas Faroé, composto por 10 equipas, e que todos eles não são profissionais, enquanto que a outra metade já se dedica totalmente ao futebol, mas no estrangeiro, nos campeonatos noruegueses, islandeses e dinamarqueses.

"Melhorámos muito nos últimos três anos, mas ainda estamos a apreender e queremos jogar com grandes equipas como Portugal para evoluirmos. Penso que os nossos jogadores estão melhor preparados, mas, infelizmente, para este jogo, não teremos três habituais titulares, que estão lesionados", esclareceu Lars Olsen.

Também na antevisão a esta partida esteve o capitão da equipa, Alti Gregerson, um dos atletas que alinha no campeonato local, que destacou o facto de, "com a saída de vários jogadores do país para alinharem no estrangeiro, a equipa nacional tem vindo a melhorar".

O experiente jogador, de 34 anos, não reagiu bem a uma questão na qual foram abordadas recentes declarações do selecionador alemão, que terá dito que "os jogos com seleções de menor expressão são uma perda de tempo para as seleções mais cotadas".

"Isso não é ter respeito. Que perguntem à Grécia como se sentiram depois de perderem connosco. Acho que o Joachim Low deve ter mais calma e colocar ordem na casa dele e continuar a ganhar, porque não conquistaram o título mundial 10 vezes, apenas 5?", disse.

Já num tom mais descontraído, e quando questionado sobre quem é a 'estrela' das Ilhas Faroé, Alti Gregerson elegeu Joan Edmundsson, avançado de 26 anos que alinha no Odense, da Dinamarca, e que, segundo o capitão, irá chamar a atenção das equipas portuguesas.

"O nosso ponta de lança é um bom trabalho, talvez o FC Porto no final do nosso jogo fique interessado nele", rematou, sorridente.

Portugal, segundo classificado do grupo com 15 pontos, defronta esta quinta-feira as Ilhas Faroé, quarto com cinco, numa partida agendada para as 19h45, no Estádio do Bessa, no Porto, que terá arbitragem de Srdjan Jovanovic, da Sérvia.

Lusa