Tribuna Expresso

Perfil

Seleção

O engenheiro vai soprar 63 velas e tem uma certeza: "Os jogadores vão dar-me uma prenda"

Terça-feira é dia importante para a seleção nacional, que joga uma final no Estádio da Luz, contra a Suíça, para decidir quem se apura diretamente para o Mundial de 2018. Se o conseguir, dará uma felicidade em forma de presente a quem faz anos - que é o senhor que, há pouco mais de um ano, orquestrou uma grande felicidade para milhões de portugueses

Diogo Pombo, com Lusa

Pedro Nunes/Lusa

Partilhar

Dez de outubro é um dia especial para alguém há 62 anos. Amanhã, terça-feira, serão 63, um dia de parabéns a você para Fernando Santos, o homem de fé inabalável que, há coisa de 15 meses, prometeu que só voltaria para casa com o Campeonato da Europa conquistado para Portugal e mostrou ser um homem de palavra.

O seleccionador nacional celebra o seu aniversário no mesmo dia em que Portugal tem de ganhar (19h45, RTP1) à Suíça para garantir que chegará ao Mundial da Rússia, em 2018, sem seguir por atalhos forçados - que será um play-off, caso o resultado seja outro que não a vitória contra os suíços que, há mais ou menos um ano, derrotaram a seleção nacional e lhe deram uma ressaca dura após a conquista do Europeu.

Em conferência de imprensa, Fernando Santos admitiu que a melhor "prensa" que poderá receber são os golos e a respetiva vitória no Estádio da Luz, o que garantirá, por sua vez, um continuado presente para qualquer português que goste de futebol - caso a seleção vença, garantirá o décimo apuramento consecutivo para fases finais, o sétimo para Mundiais.

O presente que mais gostava de receber

"Mantenho a convicção que amanhã [terça-feira] os jogadores vão dar-me uma prenda e que Portugal vai chegar ao Campeonato do Mundo através da fase de grupos. A Suíça é um adversário fortíssimo que está a fazer uma qualificação brutal, com nove vitórias em nove jogos. Sabemos das dificuldades do jogo e que vamos defrontar uma equipa de grandíssima qualidade."

Como terá de jogar a seleção

"Portugal vai ter que jogar com organização e rigor. Não pode entrar em campo de cabeça perdida, à procura do golo. Vamos tentar chegar ao golo, mas sempre com muita atenção e organização. Queremos ganhar."

Os suíços merecem o Mundial, mas não diretamente

"A Suíça tem a sua forma de jogar já há algum tempo, por isso não acredito que vá desvirtuar a sua forma de jogar frente a nós.

Não podemos dizer, como o fazíamos antigamente, que nunca fomos campeões europeus. Fomos campeões europeus. Isso cria responsabilidade, mas não ganha jogos. Vamos ter pela frente uma equipa que tem um trajeto impecável na qualificação e nós vamos fazer que esse trajeto impecável termine amanhã."