Tribuna Expresso

Perfil

Seleções

Mundial com 48 seleções? Sim, diz Maradona

A ideia do novo presidente da FIFA, Gianni Infantino, já tem um defensor de peso: Diego Armando Maradona

Lusa

Maradona agora brilha fora dos relvados

PATRICK KOVARIK/Getty

Partilhar

O ex-futebolista Diego Maradona, apontado como um dos melhores jogadores de sempre, manifestou-se favorável ao alargamento do Mundial para 48 seleções, como defendeu recentemente o novo presidente da FIFA, Gianni Infantino.

"Vou reunir-me em breve com Infantino, mas considero muito positivo ter mais seleções participantes", disse Maradona, em Roma, onde será um dos presentes no "Jogo pela Paz", um evento promovido pelo papa Francisco.

Maradona deu o exemplo do 'play-off' de apuramento para o Mundial 2014 entre Portugal e Suécia, que a seleção lusa superou, para reforçar a sua defesa pelo alargamento. "Numa das últimas eliminatórias, defrontaram-se Ronaldo e Ibrahimovic e é injunto para os adeptos não puderem ver um deles num Mundial", alegou 'El Pibe'.

A 6 de outubro, numa entrevista à agência AFP, Gianni Infantino, que anteriormente já havia defendido um Mundial com 40 equipas, face às 32 atuais, explicou que não está de parte considerar um Mundial de futebol com 48 seleções.

Infantino explicou que as 16 melhores seleções apurar-se-iam diretamente para o Mundial, juntando-se depois as restantes 32 equipas, que iriam disputar um 'play-off' entre si.

Na mesma entrevista, o líder da FIFA acrescentou que o assunto será debatido pelo novo Conselho da FIFA na quinta e sexta-feira, em Zurique.