Tribuna Expresso

Perfil

Seleções

Messi, Higuaín, Agüero e Di Maria (sinónimos de 98 golos) para atacar o Chile

Edgardo Bauza confirmou a titularidade de um quarteto ofensivo que já marcou 98 golos esta temporada, para ajudar a Argentina a fugir do quinto lugar do grupo de qualificação para o Mundial na Rússia

Francisco Perez

NELSON ALMEIDA/Getty

Partilhar

A Argentina recebe em Buenos Aires o Chile em jogo para a fase de qualificação para o Mundial de 2018 (23h30, Sportv 2), sendo que os três pontos são fundamentais para a “albiceleste” fugir do “playoff”. O quarto lugar, que dá acesso direto à Rússia, é ocupado pelo... Chile.

O saldo é claramente favorável à equipa da casa, que em 86 jogos triunfou por 57 vezes e concedeu 23 empates. O apoio do público tem sido fundamental para a Argentina, pois os chilenos nunca venceram em casa do adversário.

Nos últimos dois anos, tem havido um maior equilíbrio de forças, já que nos últimos quatro jogos contam-se duas vitórias para a “albiceleste” e dois empates. No entanto, o Chile tem mais motivos para sorrir visto que essas igualdades garantiram-lhe duas Copas Américas, ambas conquistadas após a marcação de grandes penalidades.

Fora dos lugares de qualificação direta, a um ponto dos campeões sul-americanos, Edgardo Bauza precisa de subir na tabela, tendo confirmado que vai apostar num quarteto ofensivo concretizador, dado os 98 golos que apontaram pelos seus clubes nesta temporada: Messi (Barcelona, 41), Agüero (Manchester City, 25), Higuaín (Juventus, 23) e Di María (Paris Saint-Germain, 9).

Depois de duas derrotas consecutivas, interrompidas com uma vitória por 3-0 perante a Colômbia, a Argentina quer dar sequência aos triunfos e evitar o “playoff” que colocará frente a frente o quinto classificado dos sul-americanos e o vencedor da qualificação da Oceânia.

A formação capitaneada por Lionel Messi tem apenas um ponto de avanço sobre a Colômbia.

A seis jornadas do fim, o Chile quer distanciar-se do quinto lugar para assegurar o acesso direto para o Mundial de 2018. Com uma vitória no Estádio Monumental poderá chegar ao terceiro lugar, caso o Equador não triunfe perante o Paraguai.

Após dois triunfos na fase de grupos, intercalados com um empate, Juan Antonio Pizzi não pode contar com o médio Arturo Vidal por castigo, melhor marcador da “La Roja” na zona sul-americana. Aléxis Sánchez, uma das figuras da equipa, está em dúvida para o encontro.