Tribuna Expresso

Perfil

Seleções

Tite quer continuar ciclo 100% vitorioso frente a um Uruguai que não vence o Brasil desde 2001

O “escrete” só conta com vitórias desde a entrada do treinador. Rivais estão separados por quatro pontos e em boas condições de garantir desde já o apuramento para o Mundial na Rússia

Francisco Perez

VANDERLEI ALMEIDA/Getty

Partilhar

O Uruguai recebe o Brasil, esta quinta-feira (23h, SportTV1), em jogo a contar para 13ª jornada da fase de grupos da qualificação sul-americana para o Mundial de 2018. Separados por quatro pontos, o primeiro e o segundo classificado vão querer dão um passo firme para assegurar a presença na Rússia.

Diz a história que os encontros são favoráveis à “canarinha” pois, em 73 jogos, o Brasil soma 33 vitórias e 20 empates, sendo que a última vez que a “celeste” levou a melhor sobre o adversário foi em 2001, na fase de apuramento para o Mundial do ano seguinte.

A formação agora orientada por Tite chega a Montevidéu num excelente momento de forma, já que desde a entrada do antigo treinador do Corinthians, em setembro do ano passado, registaram-se seis vitórias nos últimos seis encontros oficiais, 17 golos marcados e apenas um sofrido.

É ainda importante lembrar que, antes da entrada do técnico, o Brasil ocupava o sexto lugar da fase de qualificação com nove pontos, a quatro do líder, e é agora o primeiro classificado com 27.

Nos convocados, o benfiquista Ederson integra a lista dos 23 eleitos, sendo o único atleta do campeonato português a merecer a confiança do treinador para este embate.

Ainda assim, Tite deverá manter Alisson na baliza, mas terá que fazer alterações na frente de ataque pois Gabriel Jesus está lesionado, prevendo-se a entrada de Roberto Firmino como elemento mais adiantado. Neymar, estrela maior do “escrete”, está disponível.

Dar a volta ao passado para alcançar o primeiro lugar

O Uruguai procura o ataque à liderança do grupo de apuramento, sendo que a vitória deixará os comandos de Óscar Tabárez a um ponto do Brasil, quando faltam seis jogos para o fim.

O percurso uruguaio nos últimos jogos tem sido um pouco irregular, já que nas últimas seis partidas contam-se três vitórias, um empate a dois com a Colômbia e duas derrotas perante a Argentina e o Chile.

Nos escolhidos do selecionador uruguaio estão o portista Maxi Pereira e o sportinguista Sebastián Coates, ambos com probabilidades de integrarem o “onze” inicial.

Sem poder contar com o guarda-redes Muslera e o avançado Luís Suárez por lesão, a “celeste” apostará a vitória em Cavani, outro goleador que, por acaso, é o melhor marcador das eliminatórias da CONMEBOL, com oito remates certeiros, mais dois que Felipe Caicedo do Equador.