Tribuna Expresso

Perfil

Seleções

A primeira vitória rumo ao Europeu que nos falta

A seleção sub-21, atual vice-campeã europeia, estreou-se esta tarde no Europeu, na Polónia, com uma vitória sobre a Sérvia, por 2-0

Rui Jorge é o líder dos sub-21 portugueses

Matej Divizna/Getty

Partilhar

Não se pode dizer que o histórico mais recente das seleções portuguesas não seja positivo: fomos campeões europeus com a seleção A, campeões europeus com a seleção sub-17 e... vice-campeões europeus com a seleção sub-21, em 2015.

Aquela final contra a Suécia, decidida nos penáltis, ficou encravada na garganta de Rui Jorge (recorde a entrevista com o selecionador AQUI) e também no tal histórico nacional, que não é nada mais nada menos do que brilhante (e os sub-19 também irão disputar o Europeu da categoria daqui a duas semanas...).

É por isso que a participação dos sub-21 no Europeu disputado na Polónia está envolta em grandes expectativas - por isso, e porque esta equipa conta com jogadores como Gonçalo Guedes, Rúben Neves, Diogo Jota, Daniel Podence, João Cancelo e... Renato Sanches.

Foi precisamente o médio do Bayern de Munique a ser o centro das atenções nas últimas semanas, por ter sido "despromovido" aos sub-21, digamos assim, depois das presenças com a seleção A, mas Sanches nem sequer foi titular esta tarde, ao contrário do que poderia ser expectável.

Renato Sanches não teve uma época feliz ao serviço do Bayern de Munique

Renato Sanches não teve uma época feliz ao serviço do Bayern de Munique

FRANCISCO LEONG/GETTY

Rui Jorge optou por manter no meio-campo jogadores mais integrados no modo de jogar da seleção - Rúben Neves, João Carvalho, Bruno Fernandes e Daniel Podence -, que habitualmente se dispõe num 4-4-2 losango, hoje com Diogo Jota e Gonçalo Guedes na frente, Bruno Varela na baliza e Kevin Rodrigues, Rúben Semedo, Edgar Ié e João Cancelo no sector defensivo.

Tendo habitualmente uma ideia de jogo muito ofensiva, obtida através do ataque apoiado, a seleção de Rui Jorge correspondeu nos primeiros minutos, com Gonçalo Guedes em especial destaque individual, ainda que tenha sido Rúben Neves a enviar uma bola ao poste logo aos cinco minutos.

Do outro lado, era o benfiquista Zivkovic a dar mais nas vistas no ataque, procurando quase sempre servir o avançado Djurdjevic, mas era Portugal que dominava. Com Guedes e Podence a procurarem várias vezes as roturas nas costas da defesa adversária, foi assim que surgiu o golo. Diogo Jota desmarcou Podence, descaído para a esquerda, e o guarda-redes Milinković-Savić não conseguiu segurar o cruzamento do jogador do Sporting, com a bola a ressaltar para a cabeça de Guedes.

Portugal fazia o 1-0 aos 37 minutos e partia tranquilo para a 2ª parte, mas, ao intervalo, Rui Jorge optar por tirar Jota e fazer entrar Bruma. Por (aparente) estratégia, a equipa baixou muito mais o bloco no campo, oferecendo a bola aos sérvios e procurando frequentemente sair em transições ofensivas rápidas, precisamente para explorar a velocidade de Bruma e de Guedes.

Com muita dificuldade em ter bola e em sair com qualidade nos ataques rápidos, Portugal viu a Sérvia estar perto do empate - o cabeceamento de Grujic por pouco não entrou -, mas acabou por conseguir aumentar a vantagem, já com Renato Sanches e Iuri Medeiros em campo - e com ambos a trazerem mais qualidade ao ataque. Aos 88', depois de um grande passe a rasgar de Renato, Bruno Fernandes desmarcou-se na cara do guarda-redes e fez o 2-0.

Portugal entra a ganhar no grupo B e agora fica à espera de ver o que acontece no Espanha-Macedónia, disputado esta noite. Terça-feira, a seleção volta a jogar, desta vez contra os espanhóis (19h45, SportTV1). Venha daí esse Europeu.