Tribuna Expresso

Perfil

Seleções

Vai começar a Liga das Nações (que é como quem diz o novo campeonato das seleções, para acabar com os amigáveis que ninguém quer ver)

Esta quarta-feira, às 11h, as bolinhas dos sorteios da UEFA vão ser utilizadas para definir os primeiros jogos de uma nova prova de seleções: a Liga das Nações. Saiba o que é isto e para que serve - e se Portugal vai ganhar, claro

Mariana Cabral

Se há um troféu para conquistar, Portugal (e Ronaldo) lá estará

Getty

Partilhar

Taça da Liga, Liga NOS, Liga dos Campeões, Liga Europa - não faltam Ligas para desafiar o défice de atenção do adepto moderno - e vem aí mais uma. Mas, desta vez, de seleções.

A novíssima Liga das Nações é uma tentativa da UEFA de organizar uma espécie de campeonato entre seleções do mesmo nível, acabando (praticamente) com aqueles amigáveis desinteressantes que pouca gente quer ver.

Assim, junta-se o útil ao agradável: as seleções de nível semelhante jogam entre elas, aumentando o interesse dos jogos e dos adeptos, e vai-se contando a pontuação entre todas, elevando o espírito competitivo da coisa. Em teoria, faz sentido; na prática, logo se vê.

O sorteio da prova realiza-se esta quarta-feira, às 11h, em Lausanne, e isto é o que de mais relevante há a dizer sobre a nova Liga.

1. O que é a Liga das Nações da UEFA e por que razão é que isso me deve interessar?

Repetindo de forma mais ou menos disfarçada o que já foi escrito acima: é uma nova prova de seleções, criada pela UEFA, que pretende organizar os amigáveis, dando-lhes um espírito competitivo, com tudo a que têm direito os campeonatos: vitórias, derrotas, empates, pontos, tabela classificativa e, claro está, um troféu.

Se isto ainda não lhe interessa, vamos pôr as coisas nestes termos: prefere ver um Portugal-Arábias Sauditas desta vida (com todo o respeito, claro está) ou um Portugal-França? Com a regalia extra de haver um (outro) troféu em disputa? O Eder ajuda a explicar. Allons-y.

2. Mas como é que vão organizar essa Liga?

A UEFA pegou nas seleções das 55 federações que a compõem e dividiu-as de acordo com o ranking de coeficientes (pode vê-lo AQUI), para que as mais fortes joguem com as mais fortes e as mais fracas joguem com as mais fracas.

Isso quer dizer que as seleções do 1º ao 12º lugares vão estar na Liga A (a de Portugal); 13º–24º na Liga B; 25º–39º na Liga C; e 40º–55º na Liga D.

3. As seleções de cada uma das quatro Ligas jogam todas contra todas?

Não. Dentro de cada Liga (A, B, C e D), são formados grupos de três seleções (nas Ligas A e B) e de quatro seleções (C e D) - e, aí sim, as equipas jogam todas umas contra as outras, havendo duas voltas, com jogos em casa e fora.

Depois, os quatro vencedores dos quatro grupos da Liga A garantem a qualificação para a fase final da prova, que terá duas meias-finais, o jogo de atribuição do terceiro lugar e a final.

Os vencedores dos grupos nas Ligas B, C e D garantem a subida à Liga imediatamente acima e os que terminarem no último posto das Ligas A, B e C serão despromovidos.

4. Portugal está onde, no meio disso tudo?

Está no topo, pois claro. A seleção portuguesa integra a Liga A, das melhores seleções europeias, juntamente com Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Inglaterra, Suíça, Itália, Polónia, Islândia, Croácia e Holanda. Isto quer dizer que a seleção vai ter jogos de dificuldade mais elevada, mas também quer dizer que pode - mais uma vez - conquistar o troféu de forma brilhante

5. E vamos jogar contra quem, mesmo? Ou melhor, como é feito o sorteio?

Os adversários de Portugal vão depender do sorteio de hoje, ainda que as equipas da Liga A estejam já separadas por potes:

Pote 1: Alemanha, Portugal, Bélgica, Espanha;
Pote 2: França, Inglaterra, Suíça, Itália;
Pote 3: Polónia, Islândia, Croácia, Holanda.

Na Liga B, o cenário é o seguinte (com a condicionante extra de Rússia e Ucrânia não poderem integrar o mesmo grupo, por decisão do Comité Executivo da UEFA):

Pote 1: Áustria, País de Gales, Rússia, Eslováquia;
Pote 2: Suécia, Ucrânia, República da Irlanda, Bósnia e Herzegovina;
Pote 3: Irlanda do Norte, Dinamarca, República Checa, Turquia.

Na Liga C, os potes estão assim (e há uma condicionante extra, segundo a UEFA: "devido às restrições provocadas pelo Inverno nos campos, cada grupo poderá ter no máximo duas destas seleções: Noruega, Finlândia, Estónia e Lituânia"):

Pote 1: Hungria, Roménia, Escócia, Eslovénia;
Pote 2: Grécia, Sérvia, Albânia, Noruega;
Pote 3: Montenegro, Israel, Bulgária, Finlândia;
Pote 4: Chipre, Estónia, Lituânia.

Na Liga D (dos últimos, portanto), os potes serão estes (condicionantes extras: a Arménia e o Azerbaijão não podem ficar no mesmo grupo; nenhum grupo poderá ter mais de um destes pares: Andorra e Cazaquistão, Ilhas Faroé e Cazaquistão, Gibraltar e Cazaquistão, Gibraltar e Azerbaijão, devido à complexidade das respetivas deslocações):

Pote 1: Azerbaijão, ARJ Macedónia, Bielorrússia, Geórgia;
Pote 2: Arménia, Letónia, Ilhas Faroé, Luxemburgo;
Pote 3: Cazaquistão, República Moldava, Liechtenstein, Malta;
Pote 4: Andorra, Kosovo, San Marino, Gibraltar.

O sorteio propriamente dito vai começar com as bolinhas da Liga D e do pote 4, que contém quatro bolas, com as equipas a serem colocadas nos vários grupos, de D1 a D4. O sorteio continua com o pote 3, seguindo-se o pote 2 e o pote 1, e o procedimento é semelhante para as outras Ligas, embora o grupo C1 não tenha qualquer equipa do Pote 4 (terá apenas três equipas) e as Ligas B e A serão compostas por grupos de apenas três equipas.

São as chamadas indicações sincronizadas - são só para bons

São as chamadas indicações sincronizadas - são só para bons

Getty

6. Mas, se vamos ter Mundial no verão, quando é que isso se joga?

Calma, só o sorteio é que é para já. Depois, as datas alinhavadas para a fase de grupos são só para o final do ano - e são as seguintes (sendo que as equipas em grupos de três participam em apenas quatro das seis jornadas agendadas):

Jornada 1: 6–8 setembro 2018;
Jornada 2: 9–11 setembro 2018;
Jornada 3: 11–13 outubro 2018;
Jornada 4: 14–16 outubro 2018;
Jornada 5: 15–17 novembro 2018;
Jornada 6: 18–20 novembro 2018.

Depois, o sorteio da fase final será realizado a dezembro de 2018 e a própria fase final, em jeito de 'final four', está marcada para 5 a 9 de junho de 2019, no país de um dos finalistas.

Deve também notar-se que a fase final da Liga das Nações só se disputa em anos civis em que não haja nem Mundial nem Europeu.

7. Isto vai ter alguma coisa a ver com o Europeu?

Vai, sim, senhor. Inicialmente, a qualificação para o Europeu - neste caso, para o Euro-2020 - decorre normalmente e apura 20 seleções: os dois primeiros classificados de cada um dos dez grupos qualificam-se diretamente para a prova.

As novidades surgem no 'play-off' seguinte - cujo sorteio já está marcado para 22 de novembro de 2019. Continuam a ser apuradas quatro seleções nesta fase (perfazendo então 24, no total de seleções), mas o modo como são apuradas já é diferente - e é aqui que entra a Liga das Nações.

Agora prepare-se, que esta parte é mais complicada.

As 16 seleções que irão disputar o 'play-off' para o Euro-2020 serão decididas pela Liga das Nações. Isto é, cada uma das quatro Ligas (A, B, C e D) terá quatro seleções a disputar o 'play-off', cada uma pelo seu 'caminho' (como lhe chama a UEFA) - ou seja, quem está na Liga A não se cruza com quem está na B e por aí fora.

Ora, as quatro seleções de cada Liga que irão disputar esse 'play-off' serão as que venceram os respetivos grupos, a não ser que, claro está, esses vencedores já estejam qualificados através do apuramento "normal". Nesse caso, a vaga no 'play-off' passa a ser da seleção imediatamente seguinte no 'ranking'.

Cada 'caminho' terá duas meias-finais, que serão jogadas numa só mão, e depois haverá uma final, disputada igualmente só num encontro. O vencedor de cada 'caminho' apura-se para a fase final do Europeu.

Em caso de dúvida, deixe lá isso, à confiança: Portugal não vai precisar de nada disto - apura-se diretamente e está resolvido o assunto. Os tempos da calculadora já lá vão.