Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno de Carvalho em entrevista: “Não precisamos de vender ninguém”

Em entrevista à Sporting TV, Bruno de Carvalho revela que há jogadores que estão a ser “assediados” no mercado, confirmando propostas por Slimani, mas o clube não se irá precipitar com vendas. E irá comprar mais um ponta de lança

Expresso

José Carlos Carvalho

Partilhar

A certa altura na entrevista que deu à Sporting TV na noite de quinta-feira, Bruno de Carvalho disse assim: “As pessoas já me vão conhecendo, já são três anos”. É certo que os adeptos já conhecem bem o presidente que sucedeu a Godinho Lopes - e que deixou bem vincadas as diferenças entre ambos -, mas o Bruno de Carvalho que falou durante mais de 1h30 com os jornalistas Rui Miguel Mendonça e Sérgio Sousa (contratados recentemente à SportTV) foi um presidente mais calmo e ponderado (e até algo repetitivo) do que é costume.

“Estamos muito calmos na abordagem ao mercado”, garantiu o presidente do Sporting, depois de explicar que o clube irá contratar mais um ponta de lança, devido à lesão grave do reforço Spalvis, e não pensa vender jogadores. Mas... “Os nossos objetivos desportivos são determinantes nas nossas decisões. O Sporting não precisa de vender ninguém, mas não nos podemos esquecer que somos um clube. Os clubes não servem para eternizar jogadores, isso já foi o tempo”, acrescentou. “Às vezes há negócios que têm de ser feitos, se surgir um bom negócio e isso não colocar em causa os nossos objetivos desportivos”.

Questionado especificamente sobre o facto de Rui Patrício, João Mário, William Carvalho e Adrien Silva interessarem a clubes estrangeiros depois de terem sido campeões europeus por Portugal, Bruno Carvalho revelou que o assédio não é novo. “É uma realidade, mas já eram assediados antes do Europeu. O Sporting não está disposto a deixar sair os seus jogadores, como se viu em passados recentes, quando saíam com muita facilidade”, disse.

Nem mesmo Slimani é uma carta fora do baralho para Jorge Jesus, garantiu o presidente, que voltou a esclarecer que, ao contrário do que foi noticiado no início da semana pelos jornais desportivos, o argelino não faltou a nenhum treino sem autorização. “Tem tido propostas, é um facto, e os jogadores são seres humanos, com certeza que isso mexe com o jogador. O Slimani teve autorização para faltar. O que se passou com ele foi uma coisa perfeitamente normal e passa-se em muitos clubes e não se vê a fazer-se disso 'informações'”, lamentou.

O presidente do Sporting lamentou também os 'recados' que lhe são enviados através da comunicação social, presumivelmente referindo-se ao pai de João Mário e ao agente de Slimani, que falaram recentemente sobre a situação dos jogadores do Sporting no mercado. “As pessoas têm necessidade de tentar criar pressão através da comunicação social, que também se põe um bocado a jeito. Uma boa quezília é sempre melhor para ter uma venda superior - não estou a dizer que provocam, mas são um palco”, explicou.

“Nunca ninguém teve sucesso comigo a negociar através da comunicação social, nem terá. A única que parte que tem a perder com esta forma de negociar são os atletas, pelo menos comigo enquanto presidente”, assegurou.

Bruno de Carvalho aproveitou também para desdramatizar as derrotas recentes - “não queremos ser campeões da pré-temporada” - e disse que a equipa quer ser campeã - “acabou o campeonato monótono e bipolarizado” - e que o 'novo' Sporting “tem tudo para passar a fase de grupos da Liga dos Campeões”.