Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Sporting vai mesmo ter de pagar à Doyen – são €12 milhões

O Supremo Tribunal da Suíça, instituição para a qual o Sporting tinha recorrido da decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), não deu razão ao clube. Em comunicado, os leões dizem que “os impactos financeiros” desta decisão “já tinham sido integralmente provisionados” nas contas da SAD

Lusa

ANDR\303\211 KOSTERS

Partilhar

O Sporting informou esta quinta-feira, em comunicado, que vai ter de pagar 12 milhões de euros ao fundo de investimento Doyen, depois de o Supremo Tribunal da Suíça ter recusado o recurso interposto pelo clube da I Liga portuguesa de futebol.

Os 'leões' tinham decidido recorrer da sentença do Tribunal Arbitral do Desporto, que tinha condenado o Sporting a pagar 12 milhões de euros à Doyen, que detinha parte dos direitos do argentino Marcos Rojo, transferido para o Manchester United por 20 milhões de euros.

"O Supremo Tribunal da Suíça decidiu não dar provimento ao recurso interposto pela Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD sobre o chamado 'caso Doyen'. Nesse sentido, foi confirmada a sentença proferida pelo Tribunal Arbitral do Desporto de Lausanne (TAS) que condena a Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD ao pagamento de 12 milhões de euros à Doyen acrescidos de juros", lê-se num comunicado dos 'leões'.

Em 2014, o clube lisboeta e a Doyen, que investiu três milhões e era detentora de 75% dos direitos económicos do defesa internacional argentino, entraram conflito, a propósito da proposta do Manchester United para a transferência do Rojo.

Dias antes da mudança do defesa para Old Trafford, o Sporting rescindiu unilateralmente os contratos que tinha com o fundo de investimento relativos a Rojo e também ao marroquino Labyad, alegando justa causa.

Com esta decisão, o clube de Alvalade restituiu à Doyen os três milhões de euros que o fundo tinha investido no jogador e pagou quatro milhões ao Spartak Moscovo, clube em que Rojo tinha atuado antes de ingressar em Alvalade e que tinha direito a uma percentagem numa futura transferência.