Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

“Comunicado urgente”: Sporting diz que se cala por se sentir desrespeitado

Foi com urgência que o Sporting fez chegar às redações um comunicado a informar que entrou em blackout. Nenhum responsável do clube falará até “antes do jogo com o Marítimo”. Ou seja, o silêncio vai durar uma semana, até 20 ou 21 de janeiro, após as duas partidas contra o Desportivo de Chaves

Diogo Pombo

JOSE MANUEL RIBEIRO

Partilhar

Treinadores, jogadores, dirigentes, quem seja, ninguém fala. O Sporting decretou esta sexta-feira, através de um “comunicado urgente”, que não vai realizar “qualquer tipo de atividade Media da sua equipa principal de futebol profissional”. Entrou no que conhecemos como um período de blackout, durante o qual ninguém diz o que seja.

O clube informou que este silêncio vai perdurar até antes da partida frente ao Marítimo, na Madeira, a 21 de janeiro - por coincidência, ou não, é a data até à qual dura o castigo que o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol impôs a Jorge Jesus, devido à expulsão do treinador contra o Vitória de Setúbal.

Até lá, apenas teremos oportunidade de ouvir alguém do Sporting nas flash-interviews, logo após as duas partidas frente ao Chaves, para o campeonato e a Taça de Portugal, por ser o único momento a que os leões estão obrigados a comparecer, devido as regulamentos das competições.

Os leões já não decretavam um período de blackout desde há duas épocas, quando Marco Silva ainda era o técnico da equipa. Nessa temporada, o silência perdurou entre dezembro e fevereiro.

Eis o comunicado:

“O Sporting Clube de Portugal, informa que não realizará qualquer tipo de atividade Media da sua equipa principal de futebol profissional, para além do que está regulamentarmente estipulado, voltando a fazê-lo antes do jogo com o Club Sport Marítimo.

A decisão tem efeitos imediatos e aplica-se já à habitual Conferência de Imprensa de antevisão de jogos, habitualmente realizada no Auditório Artur Agostinho, no Estádio José Alvalade e que em condições normais, deveria acontecer esta tarde.

Esta decisão decorre daquilo que o Sporting Clube de Portugal considera ser o desrespeito pela Instituição e pelos seus Sócios e Adeptos, por parte de algumas instâncias que regulam o futebol português.

O Sporting Clube de Portugal manifesta total respeito pelo trabalho de todos os Jornalistas e Órgãos de Comunicação Social, que têm sido, e continuarão a ser o principal veículo de contacto com os nossos Sócios e Adeptos.

O Departamento de Comunicação do Sporting Clube de Portugal.”