Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno voltaria a fazer o mesmo em Chaves: “Há coisas que é preciso dizer aos filhos”

“Está a ser uma época muito mal conseguida”, mas, mesmo assim, o lugar do treinador do Sporting é intocável, garante o presidente leonino em entrevista à TSF

Fábio Monteiro

ANDR\303\211 KOSTERS

Partilhar

O Chaves rasteirou o Sporting quando o clube já estava fragilizado. Por duas vezes. E as ondas de choque deste sismo ainda não pararam de se sentir em Alvalade. Mas o lugar de Jorge Jesus, ao contrário de várias notícias que vieram a público nos últimos dias, não está em causa. “É completamente falso que tenha alternativa a Jorge Jesus”, garantiu Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, em entrevista à “TSF” esta sexta-feira.

“Triste”, “desiludido” e “frustrado”: estes são os os adjetivos que o presidente do Sporting utilizou em vários momentos, ao longo da entrevista, para falar de si próprio. “Está a ser uma época muito mal conseguida”, admitiu. As últimas semanas dos leões fizeram mossa. “Não estávamos de todo à espera de sermos afastados. Falhámos dois objetivos [Taça da Liga e Taça de Portugal] contra todas as expectativas dos adeptos e órgãos dirigentes”, confessou ainda Bruno de Carvalho.

Resta o campeonato aos leões, mas o “estado de espírito” do clube já teve melhores dias. Tal como já tinha revelado num texto publicado nas redes sociais, Bruno de Carvalho confirmou que com estas “decepções” o plantel vai ter de emagrecer. Mas “jogadores fundamentais [como William de Carvalho] não saem”, garantiu.

A derrota e o empate em Chaves foram o “epicentro” da atual crise dos leões. Após a segunda derrota com os flavienses, o presidente foi falar com os jogadores ao balneário, atitude que gerou várias críticas dentro e fora do clube. Mas presidente sportinguista disse à “TSF” que “voltaria” a tomar igual atitude quando julgasse necessário, comparando a sua acção a uma questão “paternal”. “Há coisas, em determinados momentos, que é preciso dizer aos filhos”, disse.

Mesmo com estes resultados, Bruno de Carvalho disse ainda à “TSF” que a sua campanha eleitoral para março não está condicionada. “Enquanto sportinguista tinha outra expectativa, mas não me parece que condicione nada”, sublinhou.

Mais: se não fossem os erros da arbitragem, em jogos como o do Benfica, o Sporting estaria noutra posição nesta altura do campeonato. Caso o clube tivesse saído da Luz com um ponto, a equipa teria ganho outro balanço para os jogos seguintes, frisou.


Críticas aos comentadores desportivos

Bruno de Carvalho chegou à entrevista da “TSF” com muitas críticas preparadas para os comentadores desportivos, falando em particular de Rui Santos, da SIC. O presidente do Sporting evocou uma posição recente do comentador, em que este disse que BdC estaria “encurralado”.

“Se eu descubro de dentro do Sporting quem anda a passar este tipo de informações caluniosas, seja quem for não ficará no clube. Que é alguém dentro do Sporting não há dúvida nenhuma”, disse.

  • Em tempos de emergência, Bruno de Carvalho chama o 111

    Sporting

    O presidente do Sporting apresentou esta quinta-feira o seu programa eleitoral, com 111 medidas, tantas quanto os anos do clube. Venda do naming do estádio, academia e pavilhões, manutenção da aposta na formação e equipa B e possível regresso do voleibol nas modalidades saltam à vista