Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Jorge Jesus: “O motivo principal disto é a arbitragem. Não tenho dúvidas nenhumas”

Sente-se como “todos os sportinguistas se devem sentir” e coloca de parte a possibilidade de deixar o clube. Em entrevista à Sporting TV, o treinador falou da fase menos feliz que a equipa está a atravessar. E não tem dúvidas sobre de quem é a culpa dos maus resultados

Expresso

JOSE MANUEL RIBEIRO

Partilhar

Jorge Jesus elogiou Bruno de Carvalho e afastou qualquer rumor de que treinador e presidente estejam de costas voltadas. Esta quarta-feira à noite, em entrevista à Sporting TV, o técnico leonino assegurou que não faz parte dos seus planos abandonar a liderança da equipa, até porque esta fase menos boa só é ultrapassada “se estivermos unidos”.

“Desde o primeiro dia que há uma estratégia dos nossos rivais para dividir treinador e presidente, mas estamos juntos. [Bruno de Carvalho] Confia em mim e eu confio no trabalho dele. Não se nota porque não fomos campeões, mas tem feito grande evolução na estrutura”, disse Jorge Jesus.

O treinador defendeu que, tendo em conta a época passada, foram criadas grandes expectativas (“foi o preço do sucesso da primeira época, partimos para este segundo ano com fasquia mais elevada”). Admitiu que parte da culpa quando “na 13.ª e 14.ª jornada começámos a perder alguns pontos”, mas lembrou que “houve decisões tomadas que empurraram” o Sporting para o lugar em que hoje está.

“No primeiro ano, os adeptos criaram uma grande expectativa. Vim para ser campeão e podia ter sido logo. Esta época não estamos a disputar o primeiro lugar como há um ano. Estamos a correr de baixo para cima. Não estamos a passar bom período”, lamentou. “Sinto-me como todos os sportinguistas se devem sentir”,

Jorge Jesus voltou criticar o trabalho dos árbitros, acusando-os de serem “o principal motivo” para os maus resultados do Sporting nos últimos tempos. Na entrevista, defendeu ainda o recurso ao vídeo-árbitro em nome “da verdade desportiva”.

“O motivo principal pelo momento que passamos é a arbitragem, não tenho dúvida nenhuma. Ainda no último jogo, na Madeira, ganhámos. Mas não nos deixaram ganhar. A terceira equipa não nos deixou ganhar”, disse. “Depois, há também fatores mais técnicos: a saída de alguns jogadores e tivemos de ir ao mercado. Além disso, [na época passada] tínhamos o coração da equipa muito forte, com o William, o Adrien e o João Mário. Agora, um já não está cá e os outros não estão a render tanto”, acrescentou.

Apesar de estar em quarto lugar na Liga e a dez pontos do líder do campeonato, o Benfica, Jorge Jesus acredita que ainda possível chegar ao topo. “Enquanto for matematicamente possível, achamos que temos possibilidades como os rivais, embora não deixemos de reconhecer que a diferença pontual. Estou convencido que este momento tem de ser ultrapassado com responsabilidade e sentido muito coletivo. Mandar a toalha ao chão não é bom. Nós não mandamos a toalha ao chão. Acredito que temos todas as capacidades para chegar à frente”, referiu o treinador leonino.

Partilhar