Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Madeira Rodrigues: “Com Jesus, o Sporting não vai a lado nenhum”

Para o candidato à presidência do Sporting os adeptos do Sporting estão “carentes“ e “cada vez há um maior desgosto com o que se está a passar” . Depois das declarações de Jorge Jesus sobre Palhinha, Madeira Rodrigues sente “tristeza” e “amargura”. Disse-o em entrevista à Antena 1

Vanessa Portugal

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Partilhar

Pedro Madeira Rodrigues não quer Jorge Jesus no projeto que irá levar a cabo caso seja eleito presidente do Sporting no próximo dia 4 de março. Mas ainda ponderou essa possibilidade.

“Quando me lancei neste projeto, tinha a expectativa de que com Jorge Jesus bem enquadrado com a nossa equipa e comigo em particular poderia continuar como treinador. Acreditava que podia trabalhá-lo, mas viu-se, mais uma vez este fim-de-semana, que isso seria extremamente complicado. A contratação de um treinador é urgente depois do que se viu”, disse o candidato à presidência.

Em causa, para Madeira Rodrigues, estão as declarações de J.J. sobre João Palhinha. “Sinto, revolta, tristeza e amargura. Isto é comum à família sportinguista. O que foi dito ontem sobre João Palhinha, que foi acusado de ser o culpado pela derrota do Sporting, vem na sequência do que foi dito também sobre Adrien e William”. Para o empresário, com Jorge Jesus, o Sporting “não vai a lado nenhum”.

O candidato à presidência do clube quer uma equipa “que jogue à Sporting”. Para Madeira Rodrigues o responsável do desfecho do Dragão é Jorge Jesus. Mas também Bruno de Carvalho. Porquê?

“Porque o treinador é quem põe a equipa a jogar, mas é Bruno de Carvalho quem escolhe o treinador”. E ambos “deviam assumir as responsabilidades quando as coisas não correm bem”.

Em relação às acusações que Bruno Carvalho fez sobre a relação de proximidade que tinha com o Benfica, o atual presidente do Sporting tem uma “obsessão preocupante” e ainda uma “falta de sentido ético”.