Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

O CD da FPF instaurou um processo a um agente desportivo por declarações à comunicação social. A quem? A Bruno de Carvalho

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) disse o que fez mas não disse a quem o fez - ao presidente do Sporting

Lusa e Expresso

MANUEL DE ALMEIDA

Partilhar

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) abriu hoje um processo disciplinar a um agente desportivo por incumprimento de sanção, sem referir se se trata do presidente do Sporting.

Embora não refira o nome de Bruno de Carvalho, o CD da FPF anunciou a abertura de um processo disciplinar a agente desportivo de sociedade desportiva, por incumprimento de sanção de suspensão e declarações na comunicação social, um dia depois de Bruno de Carvalho ter dado uma entrevista à TVI quando se encontrava castigado.

Na terça-feira, o presidente do Sporting foi suspenso pelo CD da FPF por 113 dias, enquanto o diretor-geral 'leonino', Octávio Machado, foi punido com 75.

Em causa uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015 e que o CD apenas agora decidiu, por unanimidade, considerando que Bruno de Carvalho cometeu três infrações de lesão de honra e reputação, enquanto Octávio Machado o fez em duas ocasiões.

Paralelamente, o presidente 'leonino' foi condenado a pagar 2.869 euros de multa, enquanto o diretor-geral desembolsará 1.913 euros.

O acórdão refere que Bruno de Carvalho e Octávio Machado afirmaram ou insinuam que o então presidente do conselho de arbitragem incorreu intencionalmente em ação parcial de favorecimento de um clube em detrimento de outro.

“Os jogos não se jogam dentro das quatro linhas” e “Vítor Pereira já ultrapassou todos os limites do ridículo” foram algumas das frases usadas por Bruno de Carvalho.