Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Paulo Cristóvão e Paiva dos Santos acusam Bruno de Carvalho de forjar e-mail

Bruno de Carvalho divulgou um e-mail alegadamente enviado por Paiva dos Santos, ex-candidato à presidência do Sporting, a Pedro Guerra, diretor da BTV

Lusa

Paulo Pereira Cristovão (à esquerda), com Godinho Lopes, ex-presidente do Sporting

Nuno Fox

Partilhar

O antigo vice-presidente do Sporting Paulo Pereira Cristóvão acusou o presidente do clube, Bruno de Carvalho, de forjar o e-mail que diz ter sido enviado por João Paiva dos Santos a Pedro Guerra, diretor da BTV e comentador do Benfica (recorde aqui o e-mail).

"Não tenho qualquer dúvida sobre a falsificação do e-mail, mas para isso com certeza que o João Paiva dos Santos, porque é o visado direto, dará a resposta que melhor achar adequada a um deslumbrado hipócrita que faz do Sporting a sua quinta e que encontrou neste emprego a resolução de muitos dos problemas financeiros", afirma Paulo Pereira Cristóvão, em comunicado.

Na sua página numa rede social, Bruno de Carvalho tornou público o citado e-mail - em que João Paiva dos Santos supostamente fala da auditoria pedida às contas do seu primeiro mandato - e revelou que vai pedir ao Conselho Fiscal do clube a abertura de um processo com vista à expulsão de sócio de João Paiva dos Santos e reforçar o mesmo pedido em relação Paulo Pereira Cristóvão, o qual qualifica como assessor daquele.

"O senhor [Bruno] Azevedo [de Carvalho] confunde o poder executivo com o poder que fiscaliza e é por isso que se dá ao desplante, qual Erdogan da Quinta das Conchas, de mandar o CF expulsar este e aquele sócio", acrescentou Paulo Pereira Cristóvão.

Também João Paiva dos Santos nega ter enviado qualquer e-mail ao diretor da BTV. "É falso que tenha enviado um e-mail ao senhor Pedro Guerra. A acusação que o Sr. Azevedo Carvalho me faz é falsa. Decidiu escrever o post em causa de livre vontade e com plena consciência das consequências dos seus atos, pelo que terá de responder pelo seu conteúdo, pela repercussão e pelas consequências do mesmo. Em defesa do meu bom nome irei agir judicialmente contra ele", referiu Paiva dos Santos, que propôs em dezembro de 2016, antes da reeleição do atual presidente, a realização de uma auditoria às contas do primeiro mandato deste.

O empresário revela ter trocado cartas com o Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting, tal como e-mails, através de Helena Jordão Morais, e confessa a sua estranheza: "Não deixa de ser estranho que tenha aparecido na imagem do post do sr. Carvalho, a assinatura de e-mail que usei na troca de correspondência com o Sporting".

MANUEL DE ALMEIDA

Depois de enumerar todos os seus contributos para o Sporting, do qual diz ser sócio há 43 anos ininterruptamente desde 1983, ao contrário de Bruno de Carvalho, "que esteve diversos anos sem pagar quotas", João Paiva dos Santos considerou "peregrina e patética" a ideia daquele em sugerir a sua expulsão de sócio, com base num envio de um e-mail falso.

João Paiva dos Santos promete, em breve, abordar o seu pedido de auditoria nos moldes em que o fez e revela que o mesmo foi rejeitado: "Fica na consciência de cada um os motivos que levaram a esse desfecho. Fica na consciência de cada um os motivos que levam a que o conselho de administração da SAD e da comissão de acionistas, tenham decidido rejeitar a auditoria depois da intervenção do senhor Azevedo de Carvalho".

Paulo Pereira Cristiovão, que também chegou a ser candidato à presidência do clube, acusa Bruno de Carvalho de viver à custa do emblema de Alvalade e de ser um "deslumbrado hipócrita", a quem designa como "funcionário do clube do qual é sócio há mais de quatro décadas e meia, sempre com as quotas em dia", ao contrário do atual presidente.

"Não querendo antecipar o que aí vem, fica a consciência tranquila de quem, ao contrário do senhor Azevedo, nunca viveu às custas do Sporting ou se auto-aumentou em mais de 10 vezes por mês em relação ao parco vencimento que auferia antes das funções para as quais foi eleito", frisou.

Na perspetiva de Pereira Cristóvão, Bruno de Carvalho padece de "um síndrome obsessivo-compulsivo em manter o seu modo de vida" e não tem dúvidas de que "fará literalmente tudo o que puder para não o perder", inclusivamente "difamar, falsificar, inventar, mentir e ser o hipócrita permanente que realmente é".

"Entendo que neste momento estão mais que reunidas as condições para que o Sr. Azevedo de Carvalho, atentas às comprovadas e reiteradas infrações disciplinares, seja ele próprio alvo de um processo disciplinar que, eventualmente, resulte na sua expulsão de sócio do clube e no afastamento das funções", escreveu ainda Paulo Pereira Cristóvão, prometendo agir disciplinar e judicialmente contra o presidente do Sporting.

Partilhar