Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Balakov e aquele chapéu a Preud'homme

O antigo jogador do Sporting recorda os dérbis que jogou em Portugal

Lusa

Gary M. Prior

Partilhar

As memórias do ex-jogador búlgaro Krasimir Balakov sobre os dérbis disputados na I Liga portuguesa de futebol, ao serviço do Sporting, permanecem ainda bem vivas, mesmo já tendo passado 22 anos do último duelo com o Benfica.

Em entrevista à Lusa, o antigo médio dos 'leões' assume que os embates com o rival "foram sempre os jogos mais extremados e emocionais" e que, por isso, tinham um ambiente "completamente diferente".

"Gostava de jogar estes jogos. Contra o Benfica marcava sempre golos, por isso é que ainda tenho também o respeito dos adeptos do Benfica. Tenho muitas pessoas que ainda me conhecem em Portugal. Marcava alguns golos contra o Benfica e, para mim, foi sempre um jogo especial", afirma.

Ao longo de cinco temporadas em Alvalade (1990/91 a 1994/95), o talentoso ex-internacional búlgaro participou em 168 jogos e apontou 60 golos. No que toca aos números em dérbis, Balakov também deixou a sua marca, ao participar em nove encontros e apontar três golos, somando três vitórias, dois empates e quatro derrotas.

Entre os dérbis realizados pelo Sporting, o antigo futebolista, hoje com 51 anos, recorda com particular significado um jogo em que brilhou quando ainda muita gente procurava o seu lugar nas bancadas, com pouco mais de dez segundos jogados no relvado, na época 1992/93.

"Foi aquele jogo em que marquei no primeiro minuto, no começo do jogo, no Estádio de Alvalade. Mas também tive jogos bons na Luz, como um em que marquei um chapéu a Preud'homme. Foi também um jogo muito especial. Os golos são importantes e ficam na memória do jogador, mas o mais importante é ganhar. Ganhar contra o rival nestes dérbis fica para sempre", defende.

Na semana de mais um capítulo na história dos dérbis, Krasimir Balakov lembra que um Sporting-Benfica "é uma festa do futebol português" e que tem um peso "importante para toda a gente no clube e para os adeptos", pelo que não deixa de manifestar o seu desejo para o desafio de sábado.

"Vou torcer de longe pelo Sporting. É claro que o Sporting ficou no meu coração para sempre. Espero que o Sporting ganhe e dê alegrias a toda a massa associativa".

O Sporting, terceiro classificado, com 63 pontos, recebe este sábado, às 20:30, o Benfica, líder, com 71, num jogo referente à 30.ª jornada da I Liga, marcado para o Estádio José Alvalade.

Partilhar