Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

O que se faz quando se joga sem nada para conquistar? Começa-se a ganhar... e perde-se

O Sporting até esteve a ganhar em Santa Maria da Feira, mas acabou por sair derrotado pelo Feirense (1-2) - e a ouvir mais assobios dos adeptos

Expresso

José Coelho/Lusa

Partilhar

São 67 pontos, menos 14 do que o tetracampeão Benfica e menos 6 do que o 2º classificado FC Porto, mas não se pode dizer que o Sporting estivesse a fazer uma má segunda volta, como explicou Jesus na antevisão do jogo contra o Feirense.

“Em termos de conquista do título, já não é possível há algumas jornadas. Vínhamos de uma pontuação na segunda volta em que fizemos 33 pontos; o Benfica fez 36."

O problema é que, mesmo fazendo uma segunda volta de qualidade, pouco mais havia para conquistar (porque a 1ª volta teve três derrotas e quatro empates) - e, na semana passada, com Alvalade a abarrotar, o Sporting foi surpreendentemente derrotado pelo Belenenses, apesar de ter começado a ganhar (1-3).

"Veio tirar-nos essa segunda volta com muita qualidade e o foco de fazer 42 pontos, que foi o que fizemos no ano passado. Frente ao Feirense, vamos tentar fazer uma segunda volta ao nível das exigências do Sporting", concluiu Jesus.

Só que mesmo com os regressos de Semedo, Jefferson, Gelson e Podence (estes últimos dois estavam castigados) ao onze (saíram Paulo Oliveira, Zeegelaar, Bryan Ruiz e Matheus), não houve uma exibição ao nível das exigências do Sporting, como pediu Jesus - especialmente na 2ª parte.

Ainda que tivesse sido o Feirense o primeiro a criar perigo - depois de uma grande jogada de Edson, Etebo quase marcava, mas Rui Patrício estava atento -, foi o Sporting a marcar, aos 19', através de um dos jogadores que mais se têm destacado esta época (o outro é Bas Dost): Gelson.

Num lançamento de linha lateral que foi uma espécie de canto, Jefferson colocou a bola na cabeça de Coates, que a passou para a cabeça de Bas Dost, que, por sua vez, a endereçou para Gelson, que fez o 1-0.

Com Podence a jogar nas costas de Bas Dost e procurar sempre criar desequilíbrios entrelinhas, o Sporting até criou mais perigo, através de um remate de Schelotto, mas acabou por ser o Feirense a empatar, pouco depois.

Num livre lateral, Tiago Silva endereçou a bola para a área de forma perfeita e, ainda que ninguém lhe tenha tocado, Patrício foi enganado e deixou-a passar.

A partir daí, foi a equipa de Nuno Manta Santos (conheça melhor o treinador AQUI) - que também está a fazer uma bela segunda volta, com a melhor classificação de sempre, 8º, com 45 pontos -, a crescer e a assustar o Sporting, através da mobilidade dos dois homens da frente: Etebo e Karamanos.

JOSE COELHO/LUSA

Na 2ª parte, o Sporting voltou a tentar pegar no jogo, mas os jogadores nunca pareceram particularmente motivados para isso - não tiveram "alma", disse Jesus, no final.

Gelson - quem mais? - ainda acertou, com o mesmo remate, no poste e na barra, mas o golo nunca apareceu - até porque estava na baliza do Feirense o brasileiro Vaná, que defendeu praticamente tudo o que havia para defender - tal como já tinha feito no jogo contra o FC Porto, por exemplo.

Aos 68', depois de um grande passe de Tiago Silva (que criatividade tem o médio ex-Belenenses), Etebo desmarcou-se na área, mas sofreu falta de Rúben Semedo.

Penálti para Tiago Silva... e golo para o Feirense. E mais uma derrota para os jogadores do Sporting, que ouviram assobios ao sair do relvado.

O Sporting encerra a Liga a receber o Chaves... mas o melhor é já pensar na próxima época. Fala Jesus: "Vim para o Sporting para ser campeão, estou habituado a ser e vamos tentar recuperar a grande equipa que fizemos no ano passado para que volte a ser possível no próximo ano".

Partilhar