Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Jesus elogia VAR mas atira-se aos árbitros: "Os assistentes têm de ser chamados à responsabilidade. São coisas fáceis"

Treinador do Sporting, em declarações à Sport TV, sublinha fim de um "agosto diabólico" para os leões, admitindo que a equipa não estava fresca para o encontro desta noite frente ao Estoril

FOTO Mário Cruz/Lusa

Partilhar

Quebra da equipa

“Sabia que a equipa não tinha capacidade para ser uma equipa com velocidade de jogo e intensidade defensiva. Além dos jogos que temos tido foi viagens, mudanças de horários e os jogadores não são máquinas. Entrámos muito fortes, fizemos dois golos e a equipa continuou com essa vantagem até ao intervalo. Na 2.ª parte fui jogando com o cansaço dos jogadores, que davam sinais para sair: a uns fingi que não ouvia, a outros que não via. Foi um mês de agosto diabólico sempre com vitórias, felizmente”

Vídeo-árbitro

“Acabámos por ganhar este jogo com um final cardíaco. Marcámos o 3-1 e não vale, depois o 2-2. O lance do Piccini, do 3-1, está fora de jogo um palmo. Agora o que era o 2-2, onde há vários jogadores do Estoril e o fiscal de linha não vê... Estão dois jogadores um metro fora de jogo e o fiscal de linha não vê? Tem de haver videoárbitro, mas os árbitros assistentes têm de ser chamados à responsabilidade. São coisas fáceis. Não viu, tem de começar a treinar mais, como os meus avançados: tem de ver melhor as coisas”

William

“Não foi só o Wiliam. O Adrien também. Sim, tem uma fratura nas costelas, parece. Parece não: tem. Ausência de William? Esteve lesionado, não tem treinado tanto quanto eu achava que era importante. Achei que não estava em condições físicas para poder jogar”

Mercado

“Enquanto não houver nada concreto, o William estará pronto para o próximo jogo. Também é depois de 31 de agosto. Espero que quinta-feira chegue rápido para termos mais equilíbrio. Parece que não tem importância, mas isto mexe com o grupo”