Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Jesus não confirma Piccini para Atenas, na estreia de um “grupo fraquinho” (atenção à ironia)

Entre o realismo e a ironia, Jorge Jesus aproveitou a antevisão à estreia do Sporting na Champions para sublinhar a qualidade ofensiva do Olympiacos e para dizer que na Liga dos Campeões não há favoritos, nem mesmo quando o adversário for o Barcelona. Jesus está ainda "na expectativa" para saber se pode utilizar Piccini, que se lesionou em Santa Maria da Feira

Expresso

Jorge Jesus cumpre a terceira época como treinador do Sporting

Carlos Rodrigues/Getty

Partilhar

A pouco mais de 24 horas da estreia do Sporting na edição de 2017/18 da Liga dos Campeões, frente ao Olympiacos, Jorge Jesus sublinhou em declarações à Sport TV que o Sporting “tem de jogar dentro daquilo que fez em Budapeste”, lembrando, no entanto, que os campeões gregos são “mais fortes” que o Steaua.

“A equipa tem de ser igual a si própria, às suas ideias e estratégia. Vamos ver se conseguimos meter as nossas ideias em jogo. Se não conseguirmos, será mais complicado”, frisou o técnico do Sporting.

Irónico, Jesus falou de um “grupo fraquinho” [além do Olympiacos, no grupo estão ainda Barcelona e Juventus], onde o Sporting tem a “possibilidade de fazer muitos pontos”, para depois, então, falar mais a sério sobre as possibilidades do Sporting na Champions: “Numa fase de grupos não podes fazer contas. Tem de ser jogo a jogo. Penso que todos os adversários têm as mesmas hipóteses que nós”.

E por falar em hipóteses, as de Piccini jogar após lesionar-se em Santa Maria da Feira ainda existem: “Ainda não temos certeza absoluta, as próximas horas são determinantes e o departamento médico amanhã vai dizer-me se posso contar com ele ou não. Estamos na expectativa”.

Quanto ao Olympiacos, Jesus alerta para a qualidade “no sector ofensivo” e para os jogadores criativos que o campeão grego tem na frente de ataque. Já o ambiente em Atenas não assusta Jesus: “O ambiente é o que influencia menos. É claro que jogar em casa é um factor que favorece o Olympiacos, mas determinante aqui é a qualidade coletiva e individual. O ambiente é importante, mas determinante são os jogadores”.

Já na conferência de imprensa, Jesus afirmou que o Sporting quer começar “com uma vitória”, mas lembrou que a sua equipa vai passar “por momentos de jogo complicados”.

“Vamos ser apertados, mas faz parte daquilo que já pensámos em termos de estratégia de jogo”, disse ainda o técnico leonino, que recusa olhar para o jogo de terça-feira como uma final. “Não pensamos no Olympiacos em separado face a Barcelona e Juventus. Estamos numa fase de grupo e na Champions. Já o disse no sorteio: se queres estar com os melhores, tens de ter a capacidade de jogar com eles. Olhamos para o Olympiacos como olhamos para Barcelona e Juventus”.

Talvez por isso, Jesus não quer assumir favoritismos para este jogo, tal como acredita que o Barcelona não é favorito nos jogos com o Sporting. “Isso só se prova dentro de campo. Na Champions não há favoritos”, frisou.