Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

¿Donde está Bryan Ruiz? O costa-riquenho “desrespeitou” o Sporting e está a pagar por isso

Bryan Ruiz não foi convocado e nem treinou, esta época, com o resto da equipa do Sporting. O costa-riquenho está à parte, com um preparador físico, por ter rejeitado três ofertas concretas após ser informado pelo clube que não contava para Jorge Jesus. O Sporting sentiu-se desrespeitado e a Tribuna Expresso sabe que dificilmente a situação vai mudar

Diogo Pombo

Há muito, muito tempo, que não vemos Bryan Ruiz a olhar assim para um bola com a camisola do Sporting: o último jogo do costa-riquenho pelo clube foi a 13 de maio, na derrota (2-1) contra o Feirense

FRANCISCO LEONG

Partilhar

Ele marca 13 golos nos 46 jogos que faz na primeira época, números aos quais faz seguir 42 partidas e três bolas rematadas para dentro de balizas, na segunda temporada. É muitas vezes titular, joga em várias posições e até chega a usar a braçadeira de capitão, em uns quantos encontros. Tem um pé esquerdo refinado, uma cabeça com as ideias certas e uma relação íntima com a bola que compensam a lentidão a locomover-se que, aos 32 anos, já não esconde.

Os dois anos que Bryan Ruiz leva de Sporting são assim - jogar muito, a ser importante e descrito pelo treinador como alguém que “sabe tudo, tudo, em termos táticos”.

Isso era antes. Porque, entre o fim da época passada e o início desta, o Sporting informou o costa-riquenho de que já não estava nos planos do treinador e que seria altura para procurar soluções, apurou a Tribuna Expresso com fonte próxima da SAD do clube. Com o tempo, chegaram três ofertas concretas a Alvalade - não sabemos de onde -, descritas como "vantajosas para todas as partes", mas o jogador recusou as três.

O Sporting encarou esta recusa como "um desrespeito", razão pela qual mantém Bryan Ruiz afastado da equipa. Ele tem contrato com o clube e foi inscrito na Liga, mas nunca foi convocado para um jogo, nem treinou uma vez com a equipa, esta temporada. Situação que "dificilmente" se vai alterar, adiantou a mesma fonte.

O médio não somou um minuto na pré-época (esteve, em grande parte do tempo, com a sua seleção), o clube não lhe atribuiu um número de camisola e o nome nem aparece na constituição do plantel, no site oficial do Sporting.

A Costa Rica não gosta disto

Por ser ele quem é - Bryan Ruiz, um dos melhores leões nas duas últimas épocas (melhor na primeira, pior na segunda), um jogador com nome e reputação, senhor de 104 jogos pela seleção da qual é capitão -, há quem esteja muito preocupado com o que se está a passar.

Esse alguém é Rodolfo Villalobos, presidente da federação de futebol do país, que já veio clamar por mudanças. “Queremos fazer um pedido respeituoso a Bruno de Carvalho, presidente do Sporting. Que não contem com o Bryan na primeira equipa tem de ser respeitado, mas queremos que lhe permitam treinar com a equipa B”, disse, esta quarta-feira.

FRANCISCO LEONG/Getty

No final da época passada, escreveu, na altura, "O Jogo", a outrora boa e próspera relação entre Bryan Ruiz e Jorge Jesus começou a azedar, por motivos que se desconhecem. O costa-riquenho fechou a temporada sendo suplente, jogando menos, e a direção do clube, tendo em conta os crescentes atritos, começou a tentar arranjar soluções para transferir o jogador.

A nova época arrancou e Jesus decidiu não contar mais com o jogador, como chegou a sublinhar, em conferência de imprensa.

Entre o final de agosto e o início de setembro, noticiou-se que Bryan Ruiz foi rejeitando propostas de vários clubes que chegaram ao Sporting, algo que desagradou a direção e o presidente, Bruno de Carvalho. As supostas negas às ofertas que lhe foram apresentadas fez cair sobre Bryan Ruiz a política que tanto é adotada por clubes de futebol - colocar um jogador à margem da equipa, sem treinar, encostado, a forçá-lo num braço de ferro que não consegue ganhar.

Porque, como o disse, também, o presidente da Federação de Futebol da Costa Rica, “há uma relação contratual entre o Sporting e Bryan”, e “enquanto o clube cumprir com o pagamento económico, o Bryan terá que manter-se às ordens [do clube], mas isto pode afetar-lhe o rendimento”.

O contrato do jogador termina em junho de 2018, ou seja, a partir de 1 de janeiro do próximo ano já poderá assinar contrato com qualquer clube, sem que haja uma compensação financeira para o Sporting. “Vou regressar a Portugal e se houver uma opção que me interesse, que seja boa para mim e para a minha família, vamos analisá-la, caso contrário, já sou uma pessoa madura e sei tomar as minhas decisões”, revelou, a 6 de setembro, à televisão "Teletica", no final de um jogo pela Costa Rica,

O jogador chegou a ser inscrito na Liga de Clubes, segundo informação que a entidade publicou, após o fecho do período de transferências de verão.

Rodolfo Villalobos tem estado em contacto com o jogador, que vê "muito preocupado e triste". Retrata Bryan Ruiz como "muito disciplinado" e até dedicou umas palavras a Jorge Jesus: "Não pedimos ao técnico que o coloque a jogar no campeonato ou na Liga dos Campeões, mas sim que o deixe treinar com a equipa B".

O presidente da federação costa-riquenha lembra que se trata de um futebolista "que está às portas do Mundial de 2018" e, para bem da sua seleção, pede que ele jogue. Um pedido com muitos apoiantes, já que Villalobos frisou que fala "em nome de quatro milhões de adeptos da Costa Rica".