Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno de Carvalho: “A polícia foi três vezes a minha casa no último mês, por chamadas anónimas de violência doméstica”

O presidente do Sporting lamentou o que diz serem "ataques pessoais" à sua família e diz que alguém "vai pagar", começando por José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina

Expresso e SIC

Partilhar

Presente no Sporting-Barcelona de quarta-feira, Bruno de Carvalho falou aos jornalistas para denunciar o que diz serem ataques pessoais de anónimos. "No último mês, a polícia já foi a minha casa a altas horas, por chamadas anónimas de violência doméstica, acordando as minhas filhas e a minha mulher", contou, citado pelo jornal "Record".

"Num mês foram bater três vezes à minha porta. Antes de presidente do Sporting, sou cidadão. São situações ridículas e alguém terá de pagar. A primeira pessoa a fazê-lo será Meirim", acrescentou, referindo-se a José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina, organismo que decidiu novo castigo de três meses para o presidente do Sporting, por declarações à comunicação social.

De acordo com o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, o presidente do Sporting foi considerado culpado do número 1 do 112.º artigo do Regulamento Disciplinar da Liga: "O clube que desrespeite ou use de expressões, desenhos, escritos ou gestos injuriosos, difamatórios ou grosseiros para com órgãos da Liga ou da Federação Portuguesa de Futebol, respetivos titulares, árbitros, dirigentes e demais agentes desportivos, em virtude do exercício das suas funções".

Mas Bruno de Carvalho não concordou com o castigo. "Estamos num plano que considero pessoal e esta decisão é mais uma para juntar ao processo civil que vou intentar contra Meirim. Já ultrapassámos tudo", criticou.