Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Jesus e a estreia de Rúben: “Disse-lhe: joga como se estivesses no Rio Ave”. E a ausência de Wendel: “Taticamente, isto para ele é chinês”

Depois da vitória sobre o Aves (3-0), Jorge Jesus falou sobre os novos reforços do Sporting

Expresso

2. Jorge Jesus, treinador do Sporting, conquistou 79 pontos

TIAGO PETINGA/LUSA

Partilhar

A exibição

"Missão cumprida, os três pontos eram o objetivo. Fazes três pontos e ganhas com qualidade e com um resultado expressivo, onde tens períodos de jogo muito interessantes, onde jogaste com uma equipa bem posicionada atrás, uma linha de cinco jogadores, um corredor central muito forte. Mas estávamos preparados para este posicionamento, também jogámos na frente com posicionamento diferente do habitual e criámos algum conflito de marcação aos centrais do Desp. Aves."

A estreia de Rúben Ribeiro

"Era importante marcar primeiro, foi numa boa jogada do Rúben, boa assistência para o Bas, foi o princípio para que na segunda parte a equipa estivesse mais segura, sabendo que podíamos estar mais perto do golo que o adversário. Às vezes corre-se estes riscos e pode ser fatal, mas isto faz parte de quem sabe por que razão faz as coisas.

A mim não me surpreendeu nada. Conhecemos o Rúben muito bem do campeonato, ao longo dos anos. É um jogador que nos pode trazer posse de bola ainda maior, que joga muito bem de costas, precisamos de jogo entre linhas com esta qualidade. Conhecemos os movimentos dele e disse-lhe: 'Não penses na equipa, joga como se estivesses no Rio Ave, não tiveste tempo para aprender'. Foi isso que ele fez."

Mais reforços

"No futebol nada se sabe, mas penso que isso está fora de questão. Ontem tive oportunidade de dizer que há seis equipas na Europa com mais jogos, 32 jogos. Quatro do campenato inglês, uma do campeonato espanhol, o Real Madrid por causa do Mundial de clubes, e o Sporting.

Tentámos ajustar o nosso plantel, não com jogadores que chegassem e tivessem... Também não temos capacidade financeira para ir buscar jogadores com muito nome. Procurámos jogadores para o futuro. Este para o imediato, o caso do Ruben. Já tentei explicar que o Misic e o miúdo, o Wendel, têm muito para aprender. Principalmente o Wendel, que tem 20 anos, tem muito a aprender, taticamente, isto para ele é tudo chinês. Mas tem talento, acho que o Sporting está a pensar bem no futuro e no presente. É isto, não dá para pensar muito no futuro, mas no presente, porque o presente é que é o futuro."