Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Como se diz 'saudade' em holandês?

Custou - e de que maneira -, mas o Sporting conseguiu voltar às vitórias, ao vencer o Feirense, por 2-0, na 22ª jornada da Liga

Expresso

JOSE MANUEL RIBEIRO

Partilhar

Não há nada como os factos para pôr a vida em perspetiva. Para o Sporting, os factos são estes: Bas Dost não jogou contra o Estoril, o Sporting perdeu; Bas Dost não jogou contra o FC Porto, o Sporting perdeu.

Esta noite, Bas Dost não jogou contra o Feirense... e o Sporting por pouco não ganhava novamente.

É certo que a equipa de Jorge Jesus, desta vez, criou talvez mais de uma dezena de oportunidades de golo, mas faltou em Alvalade, quase sempre, quem as concretizasse com eficácia - ou seja, faltou aquele holandês espadaúdo que tem uma apetência especial pela baliza e que já leva 25 golos esta época. Bas Dost, claro.

Doumbia, por outro lado, só tem sete golos marcados, nenhum deles na Liga - e também não foi hoje que o conseguiu. Pelo contrário: o avançado da Costa do Marfim é quase a antítese de Bas Dost, ao desperdiçar oportunidade atrás de oportunidade, mesmo na cara do guarda-redes, como sucedeu no início do jogo.

Apenas aos 18', Doumbia conseguiu mesmo pôr a bola dentro da baliza de Caio Secco, guardião que já tinha negado o golo a Mathieu e a Bryan Ruiz. Contudo, com intervenção do videoárbitro, o golo acabou por ser invalidado, devido a uma falta de Bruno Fernandes no início do lance, ainda que, no mesmo lance, o Feirense tivesse entretanto recuperado a posse de bola, após a tal falta - o que significaria então o início de outra jogada diferente, provocando muitos protestos em Alvalade.

O ambiente no estádio ficou então frenético e contagiou os jogadores do Sporting (algumas mudanças no onze esta noite: Patrício, Piccini, Coates, Mathieu, Bruno César, Gelson, William, Bruno Fernandes, Bryan Ruiz, Montero e Doumbia), que pareceram sempre muito intranquilos pela falta do golo. O Feirense, pelo contrário, ia fazendo tudo para tapar a baliza e ainda aproveitava a pressa contrária para sair em transições rápidas para o ataque - Rui Patrício negou, com uma grande defesa, o golo a João Silva.

Depois de mais uma série de oportunidades de golo perdidas - novamente com Doumbia como protagonista -, Freddy Montero rematou uma bola contra Flávio Ramos, dentro da área, e o árbitro Luís Ferreira marcou penálti, por alegada mão. Contudo, o VAR corrigiu: o defesa do Feirense cortou a bola apenas com a cara.

O jogo foi empatado para a 2ª parte e começou com mais do mesmo: Doumbia a falhar golos. Os adeptos estavam exasperados e os jogadores já começavam a perder a paciência, mas não baixavam os braços. Já com Rafael Leão - jovem de 18 anos da formação - em campo, o Sporting chegou ao golo, precisamente através de um passe de Leão para Montero... mas o avançado estava fora de jogo.

Foi já com os nervos em franja (e com outra estreia em campo, Lumor) que o golo - válido - finalmente surgiu, aos 78': depois de um canto, confusão na área, com a bola a bater na cara de Coates, e aparece William - regressado de lesão - a encostar para o 1-0.

Tensão libertada em Alvalade, mas o Feirense não desistiu: tentou assustar Rui Patrício, mas sem sucesso. Já nos descontos, foi mesmo Montero a conseguir chegar ao 2-0, tranquilizando os adeptos. Que, ainda assim, devem estar cheios de saudades de Bas Dost...