Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Plantel do Sporting revoltado com BdC: “Espelhamos o nosso desagrado pela ausência de apoio daquele que deveria ser o nosso líder”

Em desenvolvimento

Rui Patrício e William Carvalho publicaram, nas suas respetivas contas de Instagram, uma mensagem de reação às palavras que Bruno de Carvalho escreveu no Facebook. E não parecem estar contentes: "Não somos perfeitos e não acreditamos em jogadores perfeitos, porque queremos sempre evoluir!"

Expresso

Carlos Rodrigues/Getty

Partilhar

Um antecipou-se ao outro em cerca de seis minutos, mas ambos publicaram a mesma coisa. Primeiro foi William Carvalho, depois Rui Patrício, os dois utilizaram a sua conta de Instagram para, "em nome de todo o plantel" do Sporting, mostrarem o seu "desagrado" perante as declarações que Bruno de Carvalho redigiu, na quinta-feira à noite, no Facebook, para criticar a prestação da equipa na derrota (2-0) com o Atlético de Madrid, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa.

Esta tomada de posição do plantel surgiu pouco mais de uma hora depois de o clube, no site oficial, emitir um comunicado, desmentindo a notícia avançada pelo Correio da Manhã - de que os jogadores do Sporting se tinham recusado a treinar esta sexta-feira, exigindo a presença do presidente em Alcochete.

A par de Patrício e William, a mesma mensagem foi partilhada, também, por Marcos Acuña, Gelson Martins, Palhinha, Sebastián Coates, Rodrigo Battaglia ou Daniel Podence.

Instagram

Num dos parágrafos do texto, os jogadores explicam que estão a espelhar (foi o verbo utilizado) o seu desagrado pela "ausência de apoio" de quem "deveria ser o [seu] líder", criticando o presidente por "apontar o dedo para culpabilizar o desempenho de atletas publicamente":

"Por esta razão, em nome de todo o plantel do SCP, espelhamos neste texto o nosso desagrado, por vir a publico as declarações do nosso Presidente, após o jogo de ontem, no qual obtivemos um resultado que não queríamos… a ausência de apoio, neste momento…, daquele que deveria ser o nosso líder. Apontar o dedo para culpabilizar o desempenho dos atletas publicamente, quando a união de um grupo se rege pelo esforço conjunto, seja qual for a situação que estejamos a passar, todos os assuntos resolvem-se dentro do grupo."