Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno de Carvalho: “Assobiar sim, insultar não. Vão chamar nomes à família deles”

Depois de três dias loucos, em verdadeiro clima de guerra interna, com jogadores de um lado e presidente do outro, o Sporting ganhou no domingo à noite por 2-0 ao Paços de Ferreira. Jesus foi duro nas palavras. Bruno de Carvalho foi para o banco e ouviu assobios. No final, Bruno de Carvalho deu uma conferência de imprensa em que foi igual a si próprio

Expresso

ANDR\303\211 KOSTERS

Partilhar

Bruno de Carvalho entrou na sala de imprensa para uma conferência espontânea que durou cerca de vinte minutos. O presidente do Sporting disse que entendia os assobios, mas que rejeitava os insultos, que não via disparidades nem afastamento no discurso de Jesus, e que tudo não passa de uma manipulação de uma minoria "de 10%" que tenta pôr os sportinguistas contra ele.

Os assobios

"Já estou vacinado para assobios desde o Marco Silva, faz parte. Agora, quando me adjetivam... Se querem a demissão, há um lugar próprio para estas coisas. Chamarem-me nomes? Vão chamar nomes à família deles, porque não andei com eles na escola, não comi do mesmo prato. Quando atingimos os limites que atingimos hoje... Em primeiro lugar, interessa-me a minha relação com a minha mulher: vamos ser pais amanhã. O resto, se viram as costas, se não viram as costas... Agora, dentro do Sporting, ninguém me falta ao respeito. O que me fez vir aqui, repito: os adeptos têm o direito a assobiar, a ingratidão faz parte da cultura do Sporting. As pessoas de certeza não leram o último post, porque foram para as roulotes antes... Deviam ler para perceber realmente o que se passa no clube. Já estou habituado a que as bancadas centrais tenham esta atitude. O que podem ter a certeza é que eu só representarei o Sporting."

A demissão

"A sua pergunta é tão desprositada que eu pergunto: você tem condições para continuar a ser jornalista da RTP? Eu digo-lhe que não. Nunca representarei mais ninguém na vida a não ser o Sporting, agora retirem as vossas conclusões".

O post

"Nós somos isto, isto é o Sporting. O post não diz nada de mal. Não vou passar novamente aquilo que passei durante um ano. Agora, enquanto achar, como presidente, que as pessoas devem estar informadas, eu continuarei a informar. O post não tem interesse nenhum, não tem relevância. Só teve relevância porque alguém se lembrou na conferência de imprensa de Madrid de fazer a pergunta. Fico muito mais chateado e indignado com o que li no AS do que com o que eu escrevi. Os processos existem. Sou presidente e não abdicarei de ser presidente. Não há suspensão, apenas processo disciplinar. Não vou dizer que é a, b, c ou d."

E BdC faltou ao respeito?

"Você confundir meninos mimados com Abraão [ironia, os adeptos chamaram c..... a Bruno de Carvalho]. Gostava que me provassem se eu disse alguma mentira. Eu durmo de consciência tranquila. Tenho estado a combater várias doenças, tenho estado ao lado da minha mulher. Têm sido tempos muito complicados e tenho pena que um fim de semana destes tenha ficado completamente estragado de forma despropositada e numa tentativa conseguida de porem os sportinguistas contra mim".

Nova reunião?

"Os jogadores têm de ser pagos para fazer o que fazem, tal como eu sou pago para gerir o clube. O assunto, para mim, morreu. Eu não vim aqui para falar dos jogadores, apenas para dizer que não aceito insultos".

BdC tem culpas?

"A única coisa que eu quero dizer é isto: enquanto for presidente do Sporting, o único culpado serei eu. Pelo menos, não sou hipócrita. Nunca direi bem à frente e mal nas costas"