Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

GNR explica resgate das vítimas e detenção dos agressores em Alcochete

Guarda Nacional Republicana mobilizou 100 militares na operação relâmpago que se seguiu ao alerta da cilada de um grupo de encapuzados à equipa leonina, em Alcochete

Expresso

Mário Cruz / Lusa

Partilhar

A Guarda Nacional Republicana (GNR) enviou esta manhã às redações um relato detalhado dos incidentes ocorridos ontem, na Academia do Sporting Clube de Portugal, em Alcochete.

Em comunicado assinado pelo chefe de Divisão de Comunicação e Relações Públicas, Bruno Alexandre Marques, a GNR conta, passo a passo, os contornos da tarde mais trágica da história do Sporting.

As autoridades também confirmam a detenção de 23 suspeitos, aapreensão de cinco viaturas ligeiras e de artefactos utilizados durante o crime ao plantel dos leões.

Até agora, foram já recolhidos depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, o treinador Jorge Jesus e restante equipa téncica, além de funcionários e vigilantes ao serviço do clube.

Esclarecimento da GNR na íntegra

"Pelas 17h06, a GNR foi informada pela Direção da Academia do Sporting Clube Portugal, que as instalações da Academia do clube, haviam sido invadidas por adeptos, que alegavam querer falar com os membros da equipa técnica e jogadores. Foi então solicitada a presença da GNR, em virtude dos elementos da empresa de segurança privada não conseguirem impedir a entrada dos referidos indivíduos naquelas instalações, que foi forçada sem qualquer tipo de consentimento ou autorização para tal. A GNR de imediato mobilizou patrulhas para o local.

Cerca das 17h15, a Direção do Clube voltou a contactar a GNR, a informar que os indivíduos que invadiram as instalações da Academia estavam encapuçados e que já teriam ameaçado, coagido e agredido fisicamente jogadores e elementos da equipa técnica da equipa principal.

As primeiras patrulhas da GNR chegaram às instalações da Academia às 17h20, que reagindo de imediato montaram barreiras policiais nas estradas de acesso às imediações da Academia, no sentido de detetar e deter eventuais suspeitos.

Momentos depois, foram detetadas três viaturas nas imediações, tendo uma delas quase abalroado a barragem montada e invertido a sua marcha, iniciando a fuga. Em ato contínuo, os militares iniciaram o seguimento das viaturas em fuga, tendo intercetado uma delas, abordado, revistado e detido cinco suspeitos.

Poucos momentos depois, com a chegada de mais meios da GNR, foram intercetadas mais quatro viaturas nas imediações, tendo os militares detido mais 18 suspeitos.

Simultaneamente, vários meios da GNR de Investigação Criminal iniciaram as necessárias diligências de preservação e recolha de prova, com recurso a especialistas forenses.

Os suspeitos foram levados para o Posto Territorial de Alcochete e as vítimas e testemunhas encaminhadas para o Destacamento Territorial do Montijo, onde foram identificados e recolhidos os depoimentos, respetivamente.

No total, foram detidos 23 suspeitos, apreendidas 5 viaturas ligeiras, vários artigos relacionados com os crimes e recolhidos depoimentos de 36 pessoas, entre jogadores, equipa técnica, funcionários e vigilantes ao serviço do clube.

A GNR mobilizou um efetivo de mais de 100 militares, do Comando Territorial de Setúbal, da Unidade de Intervenção e da Direção de Investigação Criminal, tendo ainda sido apoiada, em matéria de informação criminal, pela Polícia Judiciária e Polícia de Segurança Pública."