Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

André Geraldes suspenso e proibido de frequentar Estádio de Alvalade

Juíza de instrução decidiu mandar ficar em liberdade todos os quatro envolvidos no processo Cashball

Partilhar

Os quarto suspeitos de corrupção no Sporting vão ficar todos em liberdade. André Geraldes, diretor geral de futebol do clube, vai ter de pagar uma caução de 60 mil euros. A decisão da juíza de instrução foi conhecida esta quinta-feira à noite.

Todos os suspeitos estão suspensos de funções e ficam proibidos de frequentar as instalações do Sporting, de comunicar entre si e com agentes desportivos. Além disso nenhum dos quatro pode sair do país.

Assim, a juíza concordou com aquilo que tinha sido pedido pelo Ministério Público para os quatro suspeitos de corrupção sobre jogadores e árbitros de futebol com o intuito de favorecer o Sporting.

Além de Geraldes, também Gonçalo Rodrigues, funcionário do gabinete de apoio ao atleta do Sporting, Paulo Silva e João Gonçalves, ambos empresários, foram ouvidos esta quinta-feira no Tribunal de Instrução Criminal do Porto. São suspeitos de atos de corrupção e foram detidos na última quarta-feira pela Polícia Judiciária.

O Expresso sabe que só Paulo Silva falou à juíza de instrução. Os restantes três remeteram-se ao silêncio.

O "Correio da Manhã" revela que Paulo Silva, intermediário do alegado esquema (que se mostrou arrependido e denunciou o caso às autoridades) confessou à magistrada ter corrompido ou tentado corromper jogadores adversários em oito jogos de futebol do Sporting da última temporada. E também árbitros em dez jogos de andebol, também para beneficiar a equipa leonina no campeonato da época 2016/17.