Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Joãozinho nega aliciamento do Sporting: “Nem sequer conheço André Geraldes”

Lateral do Tondela foi à TVI24 para negar qualquer envolvimento no caso "Cashball". "Eu faço questão de ir à Polícia Judiciária com o meu telemóvel e mostrar tudo. Isto é surreal. O futebol português está a tornar-se uma enorme podridão", sublinhou o jogador que passou pelo Sporting em 2012/13

Expresso

Gualter Fatia/Getty

Partilhar

O lateral Joãozinho falou esta quinta-feira na TVI24 onde negou estar envolvido no caso de suspeitas de corrupção que está a atingir o Sporting. “Nunca ninguém me contactou, não conheço ninguém. Se estava combinado contactar-me, ninguém me contactou. Estou de consciência tranquila, não me escondo, estou à disposição das autoridades para ir com o meu telefone”, sublinhou o jogador do Tondela.

“Não tenho nada a esconder, sempre fui sério. Isto já afecta a minha família, nunca pensei passar por isto no futebol. Sou sério nos treinos, nos jogos… Estamos a falar de um jogo à 6.ª jornada, se o meu treinador tivesse visto alguma coisa, nunca mais teria jogado na equipa do Tondela”, disse ainda o jogador que passou pelo Sporting na época 2012/13.

O defesa disse que a família está a sofrer com as alegações de que é alvo e espera que “se prove rapidamente” que nada tem a ver com o caso: “O meu nome nem vem aí. Acho que só associam o meu nome pelo facto de ter sido jogador do Sporting. Estou aqui para dar a cara e ninguém das autoridades me contactou ainda. Eu faço questão de ir à Polícia Judiciária com o meu telemóvel e mostrar tudo. Isto é surreal. O futebol português está a tornar-se uma enorme podridão. Não há jogador que queira jogar em Portugal. Se falha, é por ser corrupto. Se acerta, é porque está comprado pelo adversário também. Isto tem que parar”.

Defesa quer ir para o estrangeiro

Joãozinho garantiu ainda que não conhece André Geraldes (“Não o conheço, nem sequer lá estava quando eu estava no Sporting”) e que nunca ninguém da direção do Sporting o contactou. Além disso, assumiu estar à procura de colocação num clube fora de Portugal.

“Não há condições para estar aqui a jogar neste clima. Se na próxima época tenho o azar de errar vai ser sempre porque estou vendido. Prefiro ir para o estrangeiro ganhar menos porque primeiro está a minha família e o meu bom nome. Não há estabilidade para jogar no futebol português”, sublinhou.

O lateral assumiu também que face ao clima atual “os jogadores sentem-se intimidados ao jogar contra FC Porto, Sporting e Benfica”, já que o medo de errar e ser acusado é real.

“Tenho mulher, filhos e pais que ficam afetados com isto. Vou até ao fim do mundo para limpar o meu nome”, afirmou.