Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

“Horrorizado, estupefacto e envergonhado”: Mário David também se demite do conselho leonino

Luís Campos Ferreira e Miguel Relvas também se demitiram esta sexta-feira do conselho leonino

Partilhar

Continuam as demissões no Sporting: agora é Mário David a anunciar a sua saída do conselho leonino. “Horrorizado, estupefacto e envergonhado, soube como todo o mundo, até porque estava no estrangeiro, o que um bando de energúmenos e criminosos fizeram na nossa Academia. Também aqui penso que eram seguramente meliantes a soldo de determinados interesses internos e/ou externos ao Sporting. Foi hediondo e cobarde”, escreve na sua carta de demissão enviada a Jaime Marta Soares, presidente demissionário da mesa da assembleia geral do Sporting.

Mário David explica que “a gota de água foram as acusações de corrupção, primeiro no andebol, depois no futebol”. “Orgulho-me que um dos valores por que o Sporting se tem batido seja a transparência, o fair-play e a verdade desportiva. Afinal somos iguais aos outros que criticamos? Óbvio que respeito o princípio da presunção de inocência, mas acredito que os indícios e as medidas de coação tomadas por instituições em que confio e respeito são demasiado violentas, graves, penosas e ultrajantes para o nosso Sporting.”

Mário David diz ainda que o Sporting corre o risco de sofrer “danos irreparáveis”. “Pela primeira vez em seis décadas, em que as sucessivas frustrações eram apenas sublimadas pela paixão clubista, sinto o perigo do nosso Sporting Clube de Portugal poder sofrer danos irreparáveis nos seus ativos, que vão condicionar a nossa dimensão e evolução durante largos anos, para mais quando assistíamos a uma importante recuperação financeira e também de prestígio internacional.”

A carta de demissão de Mário David na íntegra

Exmo. Senhor
Presidente da Assembleia Geral do
Sporting Club de Portugal


É com profundo pesar que lhe dirijo esta carta em que apresento a minha demissão de Membro do Conselho Leonino.

Como milhões de Sportinguistas, acompanho a vida do nosso Clube com enorme paixão e interesse.

Nas últimas semanas partilhei privadamente consigo e com o Presidente e Membros da Direção, a minha apreensão por momentos e posts menos felizes mas com impato negativo na vida do nosso Clube e da nossa equipa de futebol profissional.

Horrorizado, estupefato e envergonhado, soube como todo o mundo, até porque estava no estrangeiro, o que um bando de energumenos e criminosos fizeram na nossa Academia. Também aqui penso que eram seguramente meliantes a soldo de determinados interesses internos e/ou externos ao Sporting. Foi hediondo e cobarde.

A gota de água foram as acusações de corrupção, primeiro no andebol, depois no futebol. Orgulho-me que um dos valores porque o Sporting se tem batido seja a tranparência, o fair-play e a verdade desportiva. Afinal somos iguais aos outros que criticamos? Óbvio que respeito o princípio da presunção de inocência, mas acredito que os indícios e as medidas de coação tomadas por instituições em que confio e respeito, são demasiado violentas, graves, penosas e ultrajantes para o nosso Sporting.

Senhor Presidente, Caro Amigo

Pela primeira vez em seis décadas, em que as sucessivas frustações eram apenas sublimadas pela paixão clubista, sinto o perigo do nosso Sporting Clube de Portugal poder sofrer danos irreparáveis nos seus ativos, que vão condicionar a nossa dimensão e evolução durante largos anos, para mais quando assistíamos a uma importante recuperação financeira e também de prestígio internacional.

Daí que, mal regressado a Portugal, lhe apresente, com enorme mágoa, a minha demissão de Membro do Conselho Leonino, apelando à demissão imediata de todos os Órgãos Sociais.

Saudações Leoninas e um abraço amigo

MÁRIO Henrique de Almeida Santos DAVID
Sócio 6.532