Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

A recolha de assinaturas para destituir Bruno de Carvalho já começou

A Tribuna Expresso teve acesso ao requerimento que circula entre sócios do Sporting. Se as assinaturas se traduzirem, no mínimo, em mil votos, o mesmo documento será apresentado a Jaime Marta Soares para a convocação de uma “Assembleia Geral para ser realizada no prazo de 30 dias”

Pedro Candeias

Bruno de Carvalho é presidente do Sporting desde março de 2013

Partilhar

A Tribuna Expresso teve acesso ao requerimento que pede a destituição de Bruno de Carvalho e dos restantes membros da direção do Sporting. O documento, com a data desta segunda-feira, circula entre os sócios do Sporting e, caso as assinaturas se traduzam, no mínimo, em mil votos, o mesmo será endereçado a Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral. E a consequência será esta: “Os sócios signatários do presente requerimento, representando mais de mil votos, solicitam a V. Exa que, caso convoque uma Assembleia Geral para ser realizada no prazo de 30 dias, conforme foi anunciado publicamente”.

Essa AG, a ter lugar, teria a seguinte ordem de trabalhos: a “revogação com justa causa e efeitos imediatos do mandato” de Bruno de Carvalho (presidente), Carlos Vieira (vice-presidente), Rui Caeiro (vogal do Conselho Directivo), José Quintela (vogal do Conselho Directivo), Luís Roque (vogal do Conselho Directivo), Luís Gestas (vogal do Conselho Directivo) e Alexandre Godinho (vogal do Conselho do Directivo).

O requerimento invoca as seguintes razões para justificar o pedido de destituição por justa causa: “sucessão de actos lesivos para o clube, a desprestigiante actuação pública dos membros do Conselho Directivo, a postura constante de divisão do Clube, as suspeitas e investigações de corrupção no desporto, o incentivo a actuações agressivas e anti-desportistas e a demissão massiva dos membros dos vários órgãos sociais, o afastamento de parceiros de longa data e a preocupante degradação do património do clube exigem uma reflexão urgente e conjunta dos sócios do Sporting Clube de Portugal”.

No passado, em 2012/13, o “Movimento Dar Rumo Ao Sporting” começou, também, uma recolha de assinaturas para destituir o então presidente, Godinho Lopes. A ‘arma estatutária’ acabou por não ser usada, pois os órgãos sociais do clube se demitiram antes da realização da AG.

Reuniões

Entretanto, sabe a Tribuna Expresso, os órgãos sociais demissionários (Conselho Fiscal e Disciplinar e Mesa da Assembleia Geral) irão encontrar-se em duas reuniões, uma às 15h e outra às 19h, para discutir os passos seguintes com vista à destituição da atual direção.