Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno de Carvalho: “Tenho mais honra militar do que Frederico Varandas”

Presidente do Sporting irredutível na decisão de continuar à frente da direção do Sporting. Assembleia Geral Extraordinária para destituir a direção terá lugar a 23 de junho, mas Bruno de Carvalho deixou claro que esta "bomba atómica lançada por Marta Soares" vai contra os estatutos do clube e juridicamente tem "irregularidades"

Expresso

ANT\303\223NIO PEDRO SANTOS

Partilhar

23h03
"É pena que não nos estejam a dar a possibilidade de recuperarmos foi ouro para os nossos rivais. A possibilidade de não haver empréstimo, contratações. Não assistimos a uma ponta de diálogo nestas duas reuniões. Nós tentámos de tudo e do outro lado houve sempre… no dia 21 não havia assinaturas e hoje foi-nos dito que havia. Fique claro que nós dissemos logo que nós não nos íamos demitir e que não valia a pena haver esta reunião. Foi tudo show off, encenação, para continuar a campanha na comunicação social, para ver se algum advogado ou algum empresário cometesse alguma loucura"

22h58
“Já não estou legitimado? Por causa de uns bandidos que foram à Academia? Por amor de Deus”

22h50
"Em nasci em 1972 e fui colocado na reserva territorial. Mas tenho mais honra militar do que alguns que hoje disseram que são militares. Porque nunca se abandona, nunca se deixa os colegas no combate" ​​​​​

22h47
"Desmantelar a bomba atómica? Disse rapidamente não disse hoje. Há aqui uma série de questões jurídicas e de estatutos que não são como Marta Soares diz. Isto é um atropelo. Mas hoje não nos foi apresentada nenhuma assinatura, foi só “temos”, “temos”, “temos”. Se nós somos tão tóxicos para o Sporting porque é que nos dão 60 dias para cá ficar? Que lógica tem isto? Eles disseram que é para preparar as eleições. A seu tempo vamos explicar tudo aos sócios. Porque há prazos, há timings"

22h41
"Eu pergunto: acontece tanta coisa que depois se prova que não é verdade que provoque este linchamento?"

22h39
"Foi-lhes pedido para darem um passo atrás. Foi-lhes pedido para assumirem o papel de sportinguistas. Não podemos usar o massacre da comunicação social como argumento para uma justa causa. Hoje tivemos uma pessoa [Frederico Varandas] que disse que pode travar as rescisões. Isto é inacreditável, é penoso. Temos a nossa honra, a nossa família. As pessoas não quiseram saber e lançaram a bomba atómica"

22h36
"Foi-nos dito que nos elencassen as razões. Nada. Disseram palavras vagas, "todo o mundo sabe que", e não é assim que se tratam problemas destes. Até fizemos uma proposta: mantermo-nos em funções 60 dias e depois dávamos a palavra aos sociais. O que foi anunciado por Jaime Marta Soares está cheio de irregularidades. Lançou uma bomba atómica que não está nos estatutos. Parecia uma reunião de um grupo de pessoas preocupadas contra autómatos"

22h25
"Deitaram abaixo todo o trabalho que fizemos com os bancos. Isto tinha a ver com questões de tesouraria e foi explicado ao pormenor. Não havia nada que os pudesse demover, estavam fixados na AG extraordinária. Isto põe em causa a preparação da época, a contratação de jogadores, a reestruturação financeira. Porquê? Por nada"

22h25
Bruno já fala

"Este é um dos dias mais tristes que vivi no Sporting Clube de Portugal e acredito que estou a falar por todos. Nós pedimos várias vezes dando todos os argumentos à mesa da AG e ao conselho fiscal para que não fizessem o que fizeram esta noite. Isto colocará em causa o empréstimo obrigacionista"

22h07
Tentativas de agressão à saída do estádio

O Expresso sabe que dois membros demissionários da mesa da assembleia geral sofreram tentativas de agressão quando tentavam sair do estádio e foram obrigados a refugiar-se numa carrinha da polícia que passava no local. Vários adeptos invadiram o estádio quando Marta Soares tentava falar.

22h07
À espera de Bruno e Jaime

Bruno de Carvalho deverá falar à comunicação social em breve, no Auditório Joaquim Agostinho. Já o presidente da MAG terá sido impedido de falar tanto no auditório como no Hall VIP, sabe o Expresso.

22h00
Terminou a reunião no Estádio de Alvalade

A reunião entre a direção do Sporting e os restantes elementos demissionários dos órgãos sociais do Sporting terminou após quase três horas e com duas decisões: Bruno de Carvalho mantém-se irredutível na decisão de não deixar a direção do clube e assim avança Assembleia Geral de Destituição a 23 de junho.

À saída da reunião, Jaime Marta Soares tentou falar à comunicação social mas uma manifestação a favor de Bruno de Carvalho impediu que tal acontecesse com vários insultos. Não havia polícia no local.