Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Marta Soares: “Não é agora o Conselho Diretivo que por si faz leis ou estatutos, tem que seguir regras”

O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting diz que a Comissão Transitória anunciada pelo Conselho Diretivo é "ilegal"

Expresso e Lusa

O presidente da mesa da Assembleia do Sporting, Jaime Marta Soares

MIGUEL A. LOPES/GETTY

Partilhar

O presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG) do Sporting, Jaime Marta Soares, considerou hoje que a substituição dos membros por parte do Conselho Diretivo do clube “não tem cobertura estatutária” e por isso “é ilegal”.

“Não tem sustentação legal. Não está contemplado em nenhuma parte do estatuto, não é agora o Conselho Diretivo que por si faz leis ou estatutos, tem que seguir regras. Não tem qualquer sustentabilidade estatutária e é ilegal”, disse Marta Soares, em declarações à agência Lusa.

O Conselho Diretivo (CD) do Sporting, reunido na quinta-feira, revelou, em comunicado, que decidiu substituir a Mesa da Assembleia Geral (MAG) e respetivo presidente através da criação de uma comissão transitória da MAG.

Segundo aquele CD, a reunião de quinta-feira deveu-se "à renúncia em bloco da MAG e da renúncia da maioria dos membros do Conselho Fiscal e Disciplinar, e por não terem sido iniciados pelos mesmos os procedimentos legais e estatutários a que estão vinculados e que permitiriam o normal funcionamento do clube e a consequente defesa dos superiores interesses" do clube.

Deste modo, decidiu aquele CD substituir os demissionários Mesa da Assembleia Geral e respetivo presidente, através da criação de uma comissão transitória da MAG, que será composta por Elsa Tiago Judas, advogada, Trindade Barros, advogado, e Yassin Nadir Nobre, empresário.

Para Jaime Marta Soares, a decisão do CD “é uma demonstração inequívoca de que há um assalto ao poder, do tipo golpe de estado” e que tal “não tem qualquer razão de ser”.