Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

“Bruno de Carvalho devia demitir-se agora e dar voz aos sócios”, diz Eduardo Barroso

Eduardo Barroso, cirurgião, reiterou um pedido que já havia feito e pediu ao “amigo Bruno” para “sair já”. Também comentou a saída de Jorge Jesus - que compreende - e a de Rui Patrício - que diz não entender

Antonio Pedro Ferreira

Partilhar

“Bruno de Carvalho devia demitir-se, demitir-se agora, e dar voz aos sócios”. Foi este o apelo que Eduardo Barroso, cirurgião, sócio do Sporting,, deixou ao presidente do clube. “Eu próprio pedi-lhe para se demitir e sair com dignidade de modo a evitar esta tragédia que se avizinha para o nosso clube.”

O cirurgião falava à SIC no momento em que decorria uma manifestação contra a atual direção do Sporting junto ao Estádio de Alvalade, em Lisboa, em que cerca de 500 pessoas pediram a demissão de Bruno de Carvalho e a realização de eleições. Dizendo-se diferente de todos os outros comentadores que vão para as televisões “apenas para dizer mal e difamar”, Eduardo Barroso deu a entender querer passar uma mensagem mais construtiva e foi nesse sentido que reiterou um pedido que já havia feito - o de que o Presidente do Sporting se demita e sejam convocadas eleições antecipadas. “É impossível continuar a sua missão com um clube tão dividido. Mesmo que ele tivesse toda a razão da vida, comprou uma guerra que não deveria ter comprado e que se virou contra ele.”

Para o cirurgião, a “gota que fez transbordar o copo” foi a invasão “parva” de Alcochete. “Se eu fosse presidente ter-me-ia demitido nessa mesma tarde e acompanhado os jogadores à GNR”. Atirando primeiro as responsabilidades para Bruno de Carvalho - “para todos os efeitos a responsabilidade é dele” - Eduardo Barroso fez questão de salientar logo de seguida não querer “insinuar que ele foi o mandante”.

O cirurgião contou ainda que recebeu recentemente uma mensagem de Bruno de Carvalho, de quem disse ser “muito amigo”, a acusá-lo de traição. Algo que, acrescentou, é “mentira”. “Eu não o traí, limitei-me a ser porta-voz da minha opinião.” Sobre a saída de Jorge Jesus e a saída de Rui Patrício, Eduardo Barroso disse compreender a primeira mas não a segunda. “Fico satisfeito que Jorge Jesus possa continuar a sua vida profissional e que tenha saído nas condições em que saiu. Já Rui Patrício deveria ter mantido a sua coerência e não rescindido unilateralmente. Ele deve muito ao Sporting, não ao Bruno de Carvalho.”

Eduardo Barroso foi antigo presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, eleito pela lista de Bruno de Carvalho. Em abril, a sua sugestão de que o presidente do Sporting estaria em “burnout” e que, por isso, deveria “tirar uma licença de paternidade para descansar”, tornou-se muito polémica.