Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Bruno de Carvalho: “Nunca apresentarei a demissão. Somos um órgão eleito pelos sportinguistas e somos nós que estamos contra a democracia?”

Em mais um esclarecimento que decidiu prestar, o presidente do Sporting sublinhou, uma e outra vez, que o Conselho Diretivo do clube não está a ir contra qualquer democracia e que “não é com cartas labregas, a ofender as pessoas, que se vai a lugar nenhum”

Expresso

NurPhoto

Partilhar

Bruno de Carvalho começou por lamentar o facto de, à hora de almoço de um dia "rebenta mais um escândalo no rival" - aludindo ao anúncio, da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, relativo às buscas que foram feitas nas instalações do Benfica a alegados crimes de fraude fiscal e branqueamento de capitais -, ter que estar a convocar uma conferência de imprensa para esclarecer os sportinguistas. O presidente do clube de Alvalade afirmou, e reafirmou, que o Conselho Diretivo está "legitimamente a cumprir mandato" e que não se realizará a suposta Assembleia Geral extraordinária, a 23 de junho, para destituir a direção.

As rescisões

"Quando nos sentámos com o Conselho Fiscal e com a MAG, foi-nos proposto 60 dias em funções e, depois, eleições. Foi a 24 de maio e, portanto, daria até 24 de julho. A possibilidade de apresentação de rescisão é até 14 de junho. Estamos a utilizar um argumento falso. Mas está toda a gente maluca? Somos um órgão eleito pelos sportinguistas e somos nós que estamos contra a democracia? Estamos, legitimamente, a cumprir o nosso mandato. Onde está nos estatutos que estamos obrigados a demitirmo-nos?

Já li que até jogadores que nem jogaram, como o Raphinha, estão a pensar pedir a rescisão. Mas estão a gozar comigo?"

Que eu saiba, ainda não apresentei a demissão. Nunca apresentarei"

A Mesa da Assembleia Geral

"Eles é que se demitiram. Eles próprios afastaram a MAG e o Conselho Fiscal. O Daniel Moura dos Santos a pedir ao Governo para tirar o Estatuto de Utilidade Pública ao Sporting? A mira é Assembleia Geral de destituição, Assembleia Geral de destituição... Quem se demitiu foram eles e, a partir daí, tivemos de tomar atos de gestão.

Não é com cartas labregas, a ofender as pessoas, que se vai a lugar nenhum. Se as pessoas acham que a Comissão Transitória da Mesa é algo ilegal, então vamos aos tribunais. Não vamos é continuar com pseudo-convocatórias em jornais. Se acham que fizemos alguma coisa mal, vão para a justiça e a justiça que decida. É para isso que há um Estado democrático e de Direito. Agora, não se continuem a auto-intitular de Mesa."

E a assembleia para a destituição?

"Querem uma Assembleia Geral destitutiva, entregam as assinaturas. O primeiro subscritor pode estar presente com os serviços, a verificar tudo. Se tiverem os preceitos todos, fazemos a assembleia. Somos os únicos que estamos em funções, e legitimados. Não mandámos ninguém embora, eles demitiram-se porque quiseram. Depois, tomámos atos de gestão. A partir desse momento, deixem a justiça correr, ou estão com medo? Está marcada uma Assembleia Geral para dia 17, obrigatória por causa do orçamento. Tem mais pontos, um dos pontos é ouvir os sportinguistas.

Depois, para dia 21 de julho, haverá uma Assembleia Eleitoral. Não percebo este alarido todo. Em que é que isto está contra a democracia? Onde está escrito que somos obrigados a nos demitirmos? É que isto são chavões que cola. Não estamos a tirar voz a ninguém. A antiga mesa tinha pedido uma Assembleia Geral onde não vai haver sócios do Sporting. Não vai haver.

Se querem uma Assembleia Geral de destituição, entreguem cá as coisas. Não tirámos voz nenhuma e estamos legitimados. Chega de Daniel Oliveira, Carlos Severino e Daniel Moura dos Santos, chega! Metam as providências que quiserem e, depois, a lei decide.

Nós fazemos o nosso trabalho e eles andam-nos a incomodar. Não queremos calar ninguém, já vamos ouvir as pessoas no dia 17. Não vale a pena andarmos nisto, de manifestações de pró e contra, o Sporting não precisa disto. Temos as Assembleias Gerais, chega de andarem a brincar."

As assinaturas

"Quando Jaime Marta Soares quis marcar uma Assembleia Geral extraordinária, quis marcar a assembleia só por ele. Não podia, mesmo que não fosse demissionário. Quem pode marcar uma assembleia destas são os sócios. É um embuste, os sportinguistas estão a sofrer um embuste!"

Jorge Jesus

"Com Jorge Jesus, que faz anos no mesmo dia do meu pai, já combinei que, quando voltar a Portugal, vamos almoçar ao Ritz. Desejo a maior sorte ao Jorge Jesus para este seu novo desafio."

E o novo treinador?

"Está definido o perfil, é homem."

Tem medo de eleições?

"Há três meses, deram-nos 90%. Porque não vai perguntar ao Pinto da Costa, ao Luís Filipe Vieira, ao António Costa e ao Marcelo Rebelo de Sousa se têm medo de eleições? Está a ver aqui um cão, não vejo um cão. Então não devo ter medo, de certeza absoluta."

Guilherme Pinheiro

"O Guilherme Pinheiro era da SAD, não era do Conselho Diretivo. Não há perigo de queda. Acho engraçado os pelouros que o Guilherme Pinheiro tinha, têm sido pouco falados... Uma coisa é a SAD, outra é o clube, e o Conselho Diretivo continua intacto. Isto não põe em causa absolutamente nada no Sporting ou na SAD, zero. Nem a nível de quórum, de trabalho ou de problemas de queda."