Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Sporting. Bruno de Carvalho contra-ataca e garante que “não haverá qualquer" assembleia geral a 23 de junho

Comunicado do conselho diretivo do Sporting afirma que “todas” as considerações “que possa fazer” o ex-presidente da mesa da assembleia geral “não têm qualquer relevância”

Expresso

ANT\303\223NIO PEDRO SANTOS

Partilhar

O conselho diretivo do Sporting não desarma na batalha que trava com o presidente demissionário da assembleia geral. Num comunicado emitido nesta sexta-feira, a liderança do clube de Alvalade refere que, "conforme foi anunciado várias vezes pelo Presidente do Conselho Directivo do Sporting CP, não haverá qualquer assembleia geral no dia 23 de junho", como é pretendido por Jaime Marta Soares.

O órgão dirigido por Bruno de Carvalho refere que "a providência cautelar interposta no Tribunal Administrativo e Judicial de Lisboa pela ex-Mesa da Assembleia Geral, na qual o Comendador Jaime Marta Soares solicitava que este tribunal ordenasse 'o Conselho Directivo do Sporting CP a facultar todos os meios necessários à realização da Assembleia Geral de dia 23 de junho' foi rejeitada". E adianta, ainda, que "o texto da decisão não podia ser mais claro: 'Indefere-se liminarmente o presente procedimento cautelar'".

O comunicado do conselho diretivo do Sporting acrescenta que "todas" as considerações "que possa fazer" o ex-presidente da mesa da assembleia geral "não têm qualquer relevância, porquanto serão, posteriormente, discutidas em outra sede". Nesta sexta-feira, Jaime Marta Soares enviou um comunicado às redações para revelar o desfecho da providência cautelar solicitada à justiça: que Jaime Marta Soares ainda é o legítimo detentor do cargo e que o pedido de realização da assembleia geral extraordinária, agendada para 23 de junho, é igualmente legítimo, ao contrário do que tem vindo a ser defendido por Bruno de Carvalho.