Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

“A parábola do populismo do futebol português” - Bruno de Carvalho chega ao “Politico”

O prestigiado site analisa a dimensão política da situação no Sporting. Bruno de Carvalho é tratado como um populista

Carolina Reis

Bruno de Carvalho é presidente do Sporting desde março de 2013

Partilhar

É como uma "parábola do populismo do futebol português" que a crise do Sporting é hoje apresentada no site Politico. Não é a primeira vez que a situação no clube de Alvalade é notícia na imprensa internacional, nem o órgão de informação traz uma solução para resolver o impasse entre a facção pró e anti Bruno de Carvalho – mas, desta vez, um dos sites mais influentes do mundo analisa a dimensão política do caso. Mais do que um texto sobre política, é um texto sobre como um "populista" chega ao poder.

“Cinco anos depois de ter entrado em cena com a promessa de tornar o Sporting grande de novo, o clube está amargamente dividido e enfrenta avisos de falência. O treinador principal e os melhores jogadores fugiram, incluindo quatro membros da equipa que chegou a final da Taça de Portugal”, lê-se no artigo.

O jornalista Paul Ames, que assina o artigo, vai mais longe: “Num país que escapou em grande parte à epidemia global de políticas violentas, a ascensão de De Carvalho - e possível queda - é vista como uma advertência sobre os perigos do populismo.”

Nas vésperas da Assembleia Geral Destitutiva do Sporting, o “Politico” avisa que Bruno não vai ser de ânimo leve. E cita os críticos do presidente leonino que o responsabilizam por ser o autor moral do ataque à academia de Alcochete. Aliás, a reação de Bruno de Carvalho ao ataque - quando disse que era chato, mas a violência fazia parte da visa - é classificado pelo jornalista do Politico como "estranhamente contido".

“Os populistas começam por se apresentar como representantes do povo contra a elite. E reivindicam poder absoluto para lutar contra as conspirações dessas mesmas elites. Foi exactamente isso que vimos no Sporting ”, diz o artigo citando Miguel Poiares Maduro, apresentado como "um proeminente sportinguista numa missão de restaurar a legalidade".

O Politico alerta que o Sporting parece "tão longe como nunca de recapturar seus dias de glória do meio do século XX", classifica Bruno de Carvalho como "um presidente fã" e relembra que os sócios o reelegeram com 86% dos votos. "Ele alimentou-se de uma profunda frustração entre os adeptos que durante décadas assistiram aos arqui-rivais do Sporting, Benfica e FC Porto, estabelecerem o seu poder no futebol português. Desde 1982, o Sporting só venceu o campeonato duas vezes. Isto apesar de um programa de juventude de renome mundial que nutriu alguns dos maiores talentos recentes do jogo, como como Cristiano Ronaldo, Luís Figo e Paulo Futre", continua o artigo.

Sobre a utilização da conta do Facebook, o Politico afirma que o presidente leonino aproveitou a rede social para expor "teorias da conspiração que sugeriam comportamentos manipulados pelos antigos líderes do Benfica e do Porto."