Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Sousa Cintra admite que regresso de Podence e Bruno Fernandes pode estar para breve

Quanto aos restantes jogadores que rescindiram com a equipa, Sousa Cintra não avançou detalhes mas garantiu que “a maioria quer regressar ao Sporting” e que alguns podem mesmo vir a fazê-lo. O presidente da SAD do Sporting adiantou ainda que o Wolverhampton quer pagar os 18 milhões de euros por Rui Patrício

Helena Bento

Partilhar

Sousa Cintra, presidente da SAD do Sporting, admitiu em entrevista esta terça-feira à SIC que o regresso de Podence e Bruno Fernandes poderá estar para breve. “O lugar de Bruno Fernandes e de Podence é no Sporting. São ambos filhos da casa e são muito bem-vindos”, afirmou. Também Gelson é desejado no clube mas isso ainda não se sabe “se será possível”.

Quanto aos restantes jogadores que rescindiram com a equipa, Sousa Cintra não avançou detalhes mas garantiu que “a maioria quer regressar ao Sporting” e admitiu que alguns podem mesmo vir a fazê-lo. Também adiantou que o Wolverhampton quer pagar os 18 milhões de euros por Rui Patrício.

Questionado sobre o que terá dito aos jogadores que aceitaram voltar à equipa a respeito da presença ou não de Bruno de Carvalho novamente na presidência do Sporting, Sousa Cintra disse ter-lhes transmitido “confiança e segurança”. “Não posso garantir que Bruno de Carvalho não vai estar nas eleições” de dia 8 de setembro, acrescentou.

À pergunta sobre o que pensa que deverá acontecer ao antigo presidente do Sporting - se a suspensão de sócio ou o arquivamento do processo disciplinar - Sousa Cintra disse que os sócios já deram a resposta a essa pergunta quando foram chamados a votar na Assembleia-Geral de dia 23 de junho.

Durante a entrevista desta terça-feira à noite à SIC, houve várias perguntas a que o presidente da SAD ou não respondeu de forma clara ou não respondeu de todo e a questão sobre a escolha de José Peseiro para treinador da equipa foi uma delas. “Os restantes treinadores que contactou disseram que não aceitavam a proposta?”, perguntou o jornalista, ao que Sousa Cintra respondeu: “Não quero falar sobre isso”. Depois, e perante a insistência, acrescentou: “Acho que não há nenhum treinador que não queira vir para o Sporting. O meu plano A era ter um português e foi isso que aconteceu. Não estou arrependido, foi uma decisão minha”. Sobre eventuais novos reforços para a equipa, Sousa Cintra afirmou que são necessários “jogadores que façam a diferença e que lutem pelo título”, mas que caberá a Peseiro escolhê-los.

O presidente da SAD do clube leonino também não quis falar sobre os alegados 40 milhões de euros que o Sporting deve a fornecedores, justificando que “este não é o momento certo para falar sobre isso” e garantindo que o “Sporting funciona com ética e rigor nas contas” e que isso é para manter. “Vamos honrar os nossos compromissos”, afirmou.

Questionado sobre a possibilidade, ainda que ínfima, de vir a candidatar-se às eleições de setembro, Sousa Cintra excluiu firmemente essa hipótese e disse esperar que “apareçam candidaturas fortíssimas”. “Dispenso candidaturas que só existam para ser faladas e que nenhum bem vão fazer ao Sporting.” O presidente da SAD admitiu ainda que o Sporting reatou relações com o empresário Jorge Mendes e confirmou que Paulo Futre está de forma voluntária a ajudar o clube. “Ele conhece os jogadores e os empresários, e estou muito grato por isso”, sublinhou.