Tribuna Expresso

Perfil

Surf

Kikas, o repescado, vai surfar contra Mick Fanning

O português foi derrotado por Kanoa Igarashi e Josh Kerr na quarta ronda, em Peniche, mas bom desta derrota é que ainda não perdeu tudo. Frederico Morais ficou em último lugar do seu heat e foi repescado para a quinta ronda, onde os perdedores têm uma derradeira hipótese de continuarem vivos na prova

Diogo Pombo

Damien Poullenot

Partilhar

Passar de ondas grandes, com cristas grossas como martelos que partem pranchas, no auge dos seus três metros e tão cavernosas que entrar em tubos é quase a única opção possível, para ondas com a pequenez de metro e meio de altura é o mar a dizer que é muito fácil as condições piorarem em dois dias.

O mau e o bom, contudo, são coisas relativas, e a linha que os separa é muito bamba porque tudo é subjetivo - o que é mau para mim é bom para ti e ter uma ondulação mais pequena, com o vento a soprar com menos força, menos em direção contrária às ondas, significa que Supertubos deixa de ser fiel ao nome. De um domingo cheio de surfistas a esconderem-se por trás das cortinas das ondas, porque não havia outra forma de as aproveitar, passamos para uma terça-feira, no fundo, mais banal.

A organização, indecisa, puxa da paciência para esperar que a maré comece a encher e a trazer ondulação. Adia o início da competição por cinco vezes, até às 14h. Pouco mais de uma hora depois, Frederico Morais entra na água.

Está ele a remar mar adentro e já houve dois heats surfados à moda do que as ondas menos tubulares e com paredes mais verticais exigem: muita manobras a cortar a água com as extremidades da prancha, toda a gente a usar o mar como rampa de lançamento e a banalizar aéreos. Ondas diferentes, truques diferentes e maior variedade de manobras. Kikas arranca a olhar para a esquerda, com um 8.33 vistoso em três rasgadas de costas para a onda, mas depois vê como Kanoa Igarashi e Josh Kerr o apanham nas curvas.

O japonês, o mais leve e pequeno da bateria, alia a agilidade e rapidez que tem à apurada escolha de ondas. Pontua duas ondas acima de um oito, uma delas ao espremer-se no interior de um dos raros tubos do dia. O australiano, quem mais idade tem na água, dá uma tareia em número de ondas apanhadas e, após muito tentar, aterra uma gigante rotação no ar que o retribuiu com um 9.57.

Os últimos 10 minutos têm Frederico no último lugar, a persegui-los, embora com a prioridade sobre eles.

O mar está a crescer, ondas com altura maior. O melhor que o português faz é apanhar remar para duas ondas que não se abrem para ele. Nada aproveita. Kikas perde para o bom olho, o tubo e os leques de água desenhados por Igarashi, para o voo rodopiante ao qual Kerr dá uma suave aterragem.

Frederico perde, mas não é derrotado porque esta é a ronda em que os perdedores têm uma segunda oportunidade chamada quinta ronda - onde os repescados vão para ainda tentarem chegar aos quartos-de-final.

É por isso que deverá reentrar no mar ainda durante esta terça-feira e, por uma coisa má nunca parece estar sem companhia, vai ter de surfar contra Mick Fanning. Má companhia por o australiano ser um tricampeão mundial e ter em sua posse capacidades que poucos têm.