Tribuna Expresso

Perfil

Surf

O que Frederico Morais andou a fazer nos treinos não é para todos

Kikas já está na Austrália, a competir e a preparar-se para o arranque do circuito mundial de surf, a 11 de março, em Snapper Rocks, no que será a sua segunda época entre os melhores surfistas do mundo. Mas, antes, Frederico Morais passou dois meses de férias em Portugal, que não foram, nem nunca são bem férias, porque ele foi ao mar quase todos os dias para treinar e dar origem ao vídeo do que melhor que surfou em dezembro e janeiro

Diogo Pombo

Partilhar

Entre o final de dezembro e algures pelo meio de fevereiro, quem é surfista e vive para competir no circuito mundial, sabe que tem um período para descansar. Não são bem férias, pois elas implicam descanso e um período sabático daquilo que ocupa o resto do nosso tempo durante o ano.

E Frederico Morais, como qualquer surfista, não tirou férias, foi mesmo uma pausa da competição, porque continuou a ir para o mar e às ondas quase todos os dias enquanto esteve em Portugal, à espera do arranque da nova época.

Da sua segunda temporada como residente do circuito mundial de surf, que arranca já a 11 de março, na Austrália, nas longas e duradouras esquerdas de Snapper Rocks. Para lá chegar no melhor estado possível, Kikas treinou a surfar - ou surfou para treinar - em Portugal e andou com um ou vários tipos atrás, dentro de água (Gustavo Imigrante, Gastão Entrudo ou Diogo Evaristo Silva), a recolher imagens para o filme que resultou dessa experiência.

O surfista português, de 26 anos, está na Austrália há um par de semanas e já competiu em dois eventos do circuito de qualificação: terminou no 25º lugar em Newcastle, no noroeste australiano e, há dias e umas centenas de quilómetros mais para sul, foi eliminado à terceira ronda em Manly, praia de Sydney onde se realizou a primeira competição da história do surf para titular um campeão mundial (1964).