Tribuna Expresso

Perfil

Surf

Um começo que se repetiu: Frederico Morais acaba em 13.º

O surfista português foi eliminado na terceira ronda do Quiksilver Pro Gold Coast por Kanoa Igarashi, um americano que agora compete pelo Japão e já tem umas quantas costelas lusas dentro dele. Frederico Morais terminou a primeira etapa do circuito mundial, na Austrália, em 13º, como acontecera no seu ano de estreia

Diogo Pombo

Ed Sloane/WSL

Partilhar

As ondas estavam maiores do que no dia anterior, a roçarem o metro e meio de altura, a praia bem mais ventosa. Condições agrestes. O mar, maior e mais pesado, até estava mais a jeito do estilo de surf de Frederico Morais, ávido de paredes mais fortes e agressivas. Só que, na meia hora em que esteve a enfrentá-las, houve quem lidasse melhor com elas - rápido, incisivo, melhor a escolher para quais devia remar, a conseguir sacar mais manobras.

Kanoa Igarashi apanhou menos ondas que Kikas (cinco contra sete), mas ganhou no critério com que as foi apanhando. O japonês emigrado, em criança, para os EUA, que passou anos a competir como americano, agora compete pelo Japão e passa muito tempo da sua vida em Portugal - é namorado da surfista Teresa Bonvalot - teve as duas melhores ondas na casa dos sete pontos. Kikas acabou com as melhores no degrau dos cinco pontos e com uma pontuação final de 11.10.

Uma conta insuficiente para os 15.26 de Igarashi, que fez o português abandonar a primeira etapa do circuito mundial, em Snapper Rocks, na Austrália, à terceira ronda. O mesmo lhe sucedeu o ano passado, na estreia no mundial, quando até se despediu do evento com uma pontuação muito semelhante (11.17).

Kikas vai permanecer na Austrália até ao final de abril, pois ainda haverá mais duas etapas na ilha-continente. A próxima é em Bells Beach, onde o surfista português, de 26 anos, conseguiu um quinto lugar em 2017. Essa será o último evento no qual veremos Mick Fanning a competir como residente do circuito mundial.

Aos 36 anos, o australiano e tricampeão mundial anunciou que se vai retirar na prova onde já tocou o sino (o troféu entregue ao vencedor) por três vezes. Na madrugada desta terça-feira, também foi eliminado, juntando-se à lista de matulões do surf que já não serão vistos nas águas da Gold Coast - além de Fanning, também Gabriel Medina, Adriano de Souza, John John Florence e Joel Parkinson, todos campeões mundiais, foram eliminados.

  • Não aos planos aproximados de surfistas em biquini

    Surf

    A primeira etapa dos circuitos mundiais de surf masculino e feminino está a decorrer na Austrália e a World Surf League (WSL) ter-se-á reunido para instruir os seus operadores de câmara de uma coisa: durante as competições, caso haja mulheres a surfarem de biquini, os planos devem ser mais afastados

  • O que Frederico Morais andou a fazer nos treinos não é para todos

    Surf

    Kikas já está na Austrália, a competir e a preparar-se para o arranque do circuito mundial de surf, a 11 de março, em Snapper Rocks, no que será a sua segunda época entre os melhores surfistas do mundo. Mas, antes, Frederico Morais passou dois meses de férias em Portugal, que não foram, nem nunca são bem férias, porque ele foi ao mar quase todos os dias para treinar e dar origem ao vídeo do que melhor que surfou em dezembro e janeiro