Tribuna Expresso

Perfil

Surf

Frederico Morais: partir duas pranchas e acabar em quinto lugar

Tal e qual o ano passado, o surfista português ficou-se pelos quartos-de-final da segunda etapa do circuito mundial de surf, numa bateria em que partiu duas pranchas. Kikas foi eliminado por Gabriel Medina em Bells Beach, ex-campeão do mundo que, à terceira, lá o conseguiu vencer. Com este resultado, Frederico Morais deverá entrar no top-10 do ranking

Diogo Pombo

Ed Sloane/WSL

Partilhar

Não foi o primeiro a remar para uma onda a quebrar para direita em Bells Beach. Esperou mais uns minutos, paciência, e aí desenhou bonitos leques de água, manteve fluídas as linhas que entre a base e o topo da onda e os juízes recompensaram-no: 6.17.

A primeira onda de Frederico Morais foi a primeira onda bem surfada da última bateria dos quartos-de-final, tão a desafiar o lábio de cima dessa massa de água que a prancha sofreu.

Vincou-a e perdeu uns três minutos a esbracejar, sair do mar, correr pela areia, ir buscar outra prancha e apanhar boleia de um jet-ski para voltar lá fora, onde as ondas mais se erguem para, num ápice, se começarem a desfazer. Mas, quando regressou, Gabriel Medina deixou de estar apenas sentado na prancha, entre a ocasional remada.

O brasileiro, campeão do mundo em 2014 e que fora sempre pior que Frederico Morais nas duas vezes em que se defrontaram no mar, o ano passado (também em Bells Beach e, depois, em Jeffreys Bay), acordou para a bateria com agressividade. Uma boa agressividade.

Medina arrancou em duas ondas, veloz e potente a rasgá-las com leques de água imponentes, aproveitando a força das suas manobras em backside (quando está costas para numa onda para a direita, por ter o pé direito à frente na prancha). Conseguiu um 8.83, a melhor pontuação da prova, seguido de um 6.90.

O mar não cresceu o suficiente para dar um impulso de água que chegasse, de caras, para Kikas arrancar os pontos de que necessitava. Na última onda que apanhou, a derradeira da bateria, arranjou maneira de os juízes lhe darem um 8.00. Uma avaliação quase excelente, mas insuficiente.

Frederico Morais foi eliminado por Gabriel Medina, ficando com um 5º lugar na segunda etapa do circuito mundial, a mesma classificação do ano passado. Apesar do azar - se na primeira onda partiu uma prancha, na última partiu outra.

É bom e de elogiar e de gozar, porque este resultad poderá deixá-lo (4.745 pontos, somados aos 1.665 pontos de Snapper Rocks) entre os primeiros dez classificados do ranking.