Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Depois da multa, a suspensão. Atina, Kyrgios

Nick Kyrgios já tinha sido multado em €15 mil por ter perdido pontos de propósito em Xangai, mas agora a ATP foi mais longe: suspendeu o tenista australiano até janeiro. Mas há uma maneira de Kyrgios voltar antes aos courts

Mariana Cabral

Nick Kyrgios é o 14º do ranking mundial

Lintao Zhang/Getty

Partilhar

De tempos a tempos lá vem Nick Kyrgios meter-se numa embrulhada. Mas esta história parece ainda mais déjà vu do que é habitual. É que o tenista australiano já tinha sido multado pela ATP por ter perdido pontos de propósito perante Mischa Zverev, na 2ª ronda do Masters de Xangai (recorde AQUI), mas agora viu o castigo ser agravado.

A ATP anunciou que Kyrgios está suspenso até 15 de janeiro de 2017 e vai ter de pagar mais €23 mil por agido “contra a integridade do jogo”.

Ainda assim, a ATP diz que o australiano de 21 anos pode regressar aos courts mais cedo, se “começar um plano de tratamento com um psicólogo de desporto”. Nesse caso, Kyrgios poderia voltar a competir a partir de 7 de novembro, esclarece a ATP.

Só que, para já, o tenista não demonstrou vontade em cumprir um plano desse género, apesar de ter divulgado um comunicado a lamentar o comportamento que teve (AQUI). “Compreendo e respeito a decisão da ATP e vou usar este tempo para evoluir dentro e fora dos courts. Estou verdadeiramente arrependido e só penso em voltar em 2017”, disse Kyrgios.

“O meu corpo cedeu em Xangai, tanto fisicamente como mentalmente. Não é nenhuma desculpa e sei bem que tenho de pedir desculpa aos espectadores - em Xangai e em todo o mundo -, assim como aos organizadores do torneio, que fazem um trabalho incrível”, acrescentou, mudando substancialmente o discurso que teve após o jogo em questão, quando disse que não devia nada a quem comprava bilhete.

“A escolha é minha. Se não gostam, não fui eu que lhes pedi para verem o jogo. Podem ir-se embora. Se são tão bons no ténis, por que é que não são tão bons como eu? Por que é que não estão no circuito? Se querem comprar um bilhete e ver-me, sabem que sou imprevisível”, disse então.