Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Se o trabalho compensasse, João Sousa era o 5.º melhor do mundo

Um estudo revela que o português está entre os tenistas que mais trabalham no circuito. A lista é liderada por Andy Murray

Expresso

Anthony Au-Yeung

Partilhar

A tecnologia dá para tudo, até para medir o índice de produtividade de um tenista através das seguintes métricas: a energia dispendida por pancada cruzada com a média do número de pancadas por ponto. Isto mede-se em Joules.

Faz tudo parte de um estudo do Tennis Australia's Game Insight Group (GIG) que analisou os jogadores, digamos, mais trabalhadores do circuito. E se houvesse uma relação direta trabalho-ranking, João Sousa seria o 5.º melhor classificado.

Esta lista é liderada por Andy Murray; seguem-se Novak Djokovic, David Ferrer e Gilles Simon. Destaque para os lugares de Nadal (10.º), Roger Federer (14.º) e Stan Wawrinka (20.º)

  1. Andy Murray 2218.462 Joules
  2. Novak Djokovic 2142.213
  3. David Ferrer 2108.608
  4. Gilles Simon 2059.967
  5. João Sousa 2026.395
  6. Roberto Bautista Agut 1978.938
  7. David Goffin 1917.474
  8. John Millman 1859.470
  9. Andreas Seppi 1810.319
  10. Rafa Nadal 1796.923