Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Então, Djokovic?

O tenista sérvio foi eliminado do Open Austrália depois de perder para o número 117 (sim, 117) do ranking mundial, Denis Istomin

Filipa Bulha Pereira

PETER PARKS

Partilhar

Só apetece perguntar: então, Djokovic? O tenista sérvio foi esta quinta-feira eliminado do Open da Austrália, quando nada o fazia prever, perante o 117º mundial.

Este foi o pior desempenho de Djokovic no Open Austrália desde 2006, quando caiu na primeira ronda. Tinha 18 anos. Desta vez, caiu na segunda ronda, perdendo por 3 sets a 2, em 7-6 (10-8), 5-7, 2-6, 7-6 (7-5) e 6-4.

Mais: Djokovic não era eliminado de uma segunda ronda de um Grand Slam desde 2008, em Wimbledon. E nunca nos esqueçamos que, em 2014, Djokovic foi o primeiro homem a vencer Roger Federer (provavelmente o melhor tenista de sempre) em todos os Grand Slams.

2017 era o ano em que o número 2 do ranking ATP (Andy Murray é atualmente o número um) podia tornar-se o maior campeão isolado do torneio de Melbourne, uma vez que já contava com seis vitórias. Esta era a chance de o sérvio superar o igual número de conquistas de Roy Emerson, ex-tenista australiano. Fica para a próxima.

Quanto ao vencedor surpesa, Denis Istomin, participa pela décima primeira vez no torneio e apenas chegou à terceira ronda por duas vezes (até à data). Djokovic nunca lhe havia dado hipóteses e somava já cinco vitórias (em cinco jogos) sobre o uzbeque.

Istomin perdeu o segundo e terceiro sets mas não a vontade de ganhar (não é todos os dias que se derrota assim um dos grandes). Na hora H, o uzbeque aproveitou uma quebra de Djokovic para sair vencedor. O tenista terá agora outro desafio pela frente: derrotar o espanhol Pablo Carreno Busta, número 31 do ranking. Comparando com Djokovic, parece fácil.