Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Andy Murray não deve jogar mais em 2017

Lesão na anca tira tenista britânico dos torneios de Pequim e Xangai. Muito dificilmente conseguirá recuperar para Viena e Paris, pelo que só deverá jogar em 2018

Expresso

DANIEL LEAL-OLIVAS/Getty

Partilhar

Depois de desistir à última hora do US Open, Andy Murray anunciou que muito dificilmente jogará mais em 2017, seguindo o exemplo de Novak Djokovic e Stan Wawrinka, que também já arrumaram as raquetas para este ano para recuperarem de lesões.

Andy Murray não tem competido nas melhores condições nos últimos meses devido a uma lesão na anca e falhará, pelo menos, o ATP 500 de Pequim e o Masters 1000 de Xangai, no início de outubro. No Facebook, o número 2 mundial revelou ainda que “muito provavelmente” não estará também em Viena e no Masters 1000 de Paris, os dois últimos torneios da época. O britânico não joga desde Wimbledon.

“Consultei uma série de especialistas em lesões na anca na última semana e, em conjunto com a minha equipa, decidimos que esta é a melhor decisão a tomar para o meu futuro a longo prazo”, escreveu o britânico, referindo ainda que esta tem sido uma “temporada frustrante”.

“Estou confiante que, após este período longo de descanso e reabilitação, consiga atingir de novo o meu melhor nível e lutar por títulos do Grand Slam no próximo ano”, refere ainda Murray.

Confirmando-se a ausência em Viena e Paris, Murray só deverá voltar à competição no início de 2018, no torneio de Brisbane, na preparação para o Open da Austrália. Antes disso, Murray espera conseguir jogar em novembro no Andy Murray Live, evento de solidariedade para o qual convidou Roger Federer.