Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Federer: o ano "perfeito" e um 2018 que promete

Depois de ser afastado da final das ATP Finals, o tenista suíço fez uma espécie de balanço de um época em que, aos 36 anos, voltou aos grandes momentos e às grandes vitórias. Deixou ainda algumas ideias do que poderá ser a próxima temporada, com Djokovic, Murray e Wawrinka de regresso

Lídia Paralta Gomes

ADRIAN DENNIS

Partilhar

O ano não acabou da forma que Roger Federer mais desejava, leia-se, com mais um título de campeão das ATP Finals, mas nem por isso 2017 deixa de ser uma temporada para mais tarde recordar para o suíço de 36 anos.

Federer fechou a época com sete títulos, dois dos quais em torneios do Grand Slam (Open da Austrália e Wimbledon), colocando-se ainda mais líder na lista de vencedores de majors, com 19. Isto depois de um 2016 cheio de lesões, que obrigaram o tenista de Basileia a parar durante mais de meio ano, nos quais acabou por repensar a sua abordagem à competição: menos carga, para mais resultados.

Como se viu, resultou na perfeição, mesmo que em Londres o objectivo não tenha sido alcançado. E depois de perder com David Goffin nas meias-finais das ATP Finals, Federer fez uma espécie de balanço do ano e deixou também já algumas previsões para aquilo que poderá ser a temporada de 2018.

"Olhando para o que foi o último ano, 2017 foi perfeito", sublinhou o número 2 do Mundo em conferência de imprensa. "Na verdade estou muito aliviado por ter sido capaz de acabar o ano muito bem. Mostra que os problemas estão no passado. É bom saber que consigo recuperar, sabem, voltar a ter confiança".

"Foi um ano incrível para mim e estou mesmo feliz por ter jogado a um grande nível do início até ao fim da temporada. Por isso, foi um ano muito bom. E diverti-me muito no processo", continuou.

Rivais de regresso

A próxima temporada deverá trazer uma maior competitividade no circuito masculino, que em 2017 sofreu uma verdadeira razia de lesões, que obrigaram muitos dos melhores do Mundo a terminar a época mais cedo.

Federer foi eliminado nas meias-finais das ATP Finals

Federer foi eliminado nas meias-finais das ATP Finals

Clive Brunskill/Getty

Novak Djokovic, Andy Murray e Stan Wawrinka foram algumas das "vítimas" e deverão estar de volta no início do ano, o que faz com que Federer esteja "ansioso" pelo que aí vem.

"De tenistas que estiveram sempre em bons lugares no ranking e que vencerem torneios do Grand Slam, como Stan, o Andy e o Novak, estou sempre à espera de algo grandioso. Não ficaria nada surpreendido se a paragem funcionasse para eles como acabou por funcionar para mim e para o Rafa", explicou o helvético, que diz esperar também um bom regresso de tenistas como Kei Nishikori, Tomas Berdych ou Milos Raonic.

"Espero que consigam voltar bem ao circuito e de preferência que estejam já na Austrália porque isso seria um regresso épico para todos estes rapazes. Se juntarmos esta malta aos que conseguiram qualificar-se este ano para as ATP Finals acho que temos tudo para que o início da próxima temporada seja incrível", rematou.