Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Meias-finais, cinco jogos, quinze sets disputados e nenhum perdido - temos de inventar outro nome para Federer

O tenista suíço Roger Federer, campeão em título, continuou hoje a sua caminhada imparável no Open da Austrália, ao apurar-se para as meias-finais, depois de vencer o checo Thomas Berdych, por 3-0, sem ceder qualquer 'set' nesta edição do primeiro torneio do 'Grand Slam' da temporada, ao vencer Berdych, por 7-6 (7-1), 6-3 e 6-4, em duas horas e 14 minutos.

Lusa e Expresso

PAUL CROCK

Partilhar

O tenista suíço esteve perto de perder o primeiro parcial neste Open da Austrália logo no primeiro 'set' frente a Berdych, que desperdiçou uma oportunidade de se colocar a vencer por 1-0.

"Tive de ter um pouco de sorte. Um pouco zangado. Um pouco frustrado com o árbitro após uma falha do 'olho de falcão' no seu primeiro jogo de serviço . Mas, de qualquer forma, fiquei satisfeito por conseguir ultrapassar esse primeiro 'set'. Foi a chave para o encontro. Esse primeiro 'set' poderia ter caído para qualquer lado. Ele merecia-o", disse.

Recordista de títulos do 'Grand Slam', com 19 troféus, incluindo cinco na Austrália, o suíço chegou pela 14.ª vez às meias-finais em Melbourne nas últimas 15 presenças -- apenas não atingiu essa fase em 2015.

Federer vai agora defrontar o surpreendente sul-coreano Hyeon Chung, 58.º do mundo, que hoje afastou o norte-americano Tennys Sandgren, 97.º, vencendo por 6-4, 7-6 (7-5) e 6-3, em duas horas e 28 minutos.

À entrada para o Open da Austrália, Chung tinha como melhor registo num 'major' a presença na terceira ronda em Roland Garros no ano passado.

"Cheguei às meias-finais, venci tenistas como Sascha Zverev , Novak Djokovic , e os outros bons jogadores. Nunca tinha jogado na segunda semana de um 'Grand Slam', por isso estou muito surpreendido", admitiu Chung, primeiro sul-coreano a atingir as meias-finais no Open da Austrália.

O encontro entre Chung e Sandgren começou com um ligeiro atraso, depois de um falso alarme ter obrigado à evacuação do Rod Laver Arena.

No quadro feminino, a romena Simona Halep, líder do 'ranking' mundial, atingiu pela primeira vez as meias-finais em Melbourne, depois de derrotar a checa Karolina Pliskova, sexta cabeça de série, por 6-3 e 6-2, em 71 minutos.

"Penso que foi um grande encontro. O melhor neste torneio. Comecei de forma lenta, mas depois apanhei o ritmo. Joguei muito bem", disse.

Para chegar à sua terceira final de um 'major', depois das duas em Roland Garros (2014 e 2017), Halep vai ter de ultrapassar a alemã Angelique Kerber, 21.ª cabeça de série e campeã do Open da Austrália e do US Open em 2016.

Depois de um 2016 menos positivo, Kerber parece ter voltado ao seu melhor nível e hoje afastou a norte-americana Madison Keys, por 6-1 e 6-2, em apenas 51 minutos.

"Tenho muita confiança e fé no meu jogo, porque comecei muito bem o ano, joguei bem em Perth e venci em Sydney. Isso deu-me muita confiança para vir aqui. Também todas as memórias, como é óbvio. Nunca vou esquecer as memórias que tenho daqui em 2016, é por isso que me sinto tão bem", disse Kerber.

Lusa