Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Wozniacki: de volta ao topo

A tenista dinamarquesa Caroline Wozniacki regressou hoje à liderança do ‘ranking’ feminino, dois dias depois de ter conquistado o Open da Austrália, naquela que foi a sua primeira vitória num torneio do ‘Grand Slam’

Lusa e Expresso

Partilhar

Desde 2011 que a dinamarquesa não ocupava o primeiro lugar da hierarquia, regressando agora ao topo, depois de ultrapassar a romena Simona Halep, que derrotou na final em Melbourne.

Na terceira posição está agora a ucraniana Elina Svitolina, com a alemã Angelique Kerber, semifinalista em Melbourne, a reentrar no 'top-10', depois de subir sete posições para o nono lugar.

Numa semana em que a norte-americana Serena Williams, antiga número um mundial, surge sem 'ranking', após mais de um ano sem competir, a belga Elise Mertens, semifinalista do Open da Austrália, atingiu a melhor posição da carreira, ao subir ao 20.º lugar.

Na semana em que anunciou o regresso à competição, Michelle Larcher de Brito mantém-se como melhor portuguesa, na 355.ª posição.

Roger Federer com o trofeu de "men's single".

Roger Federer com o trofeu de "men's single".

Issei Kato

No 'ranking' masculino, o suíço Roger Federer mantém-se na segunda posição, depois de ter vencido o Open da Austrália, naquele que foi o 20.º 'major' da carreira, embora se tenha aproximado do espanhol Rafael Nadal, que desistiu nos quartos de final em Melbourne.

Finalista no primeiro torneio do 'Grand Slam' da temporada, o croata Marin Cilic subiu ao terceiro lugar do 'ranking', a sua melhor posição de sempre. O sul-coreano Hyeon Chung subiu 29 lugares depois de ter atingido a meia-final em Melbourne e é agora 29.º, enquanto o norte-americano Tennys Sandgren, também semifinalista, subiu do 97.º posto para o 55.º.


Entre os portugueses, João Sousa, eliminado por Cilic na segunda ronda do Open da Austrália, subiu dois lugares para 68.º do mundo. Gastão Elias caiu para o 115.º lugar, Pedro Sousa desceu para 125.º e João Domingues para o 179.º, com Gonçalo Oliveira a sair do 'top-200', ao ocupar o 203.º.

Lusa