Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

O regresso de Serena Williams às competições oficiais não foi feliz - tirando a filha estar nas bancadas a assistir

A ex-número 1 mundial jogou pares com a irmã Venus pela seleção dos Estados Unidos, na eliminatória da Fed Cup frente à Holanda. As manas perderam, Serena ainda está uns bons furos abaixo do nível a que nos habituou, mas pelo menos tinha a pequena Alexis Olympia, de cinco meses, ali ao lado

Lídia Paralta Gomes

Richard Shiro/Getty

Partilhar

Foram 379 dias entre o último encontro oficial e domingo, dia 11 de fevereiro. Nesses 379 dias, Serena Williams venceu o Open da Austrália de 2017, anunciou que ia ser mãe, foi mãe, casou-se, regressou num encontro de exibição, nos últimos dias de 2017, e percebeu que ainda não estava em absolutas condições de, enfim, ser Serena Williams.

Por isso, a tenista que tem 23 títulos do Grand Slam, optou por não defender o título em Melbourne, em janeiro, e escolheu regressar de forma oficial num encontro mais ligeirinho. A saber, um encontro de pares com a irmã Venus numa eliminatória da Fed Cup frente à Holanda - curiosamente, no último encontro oficial, na tal final do Open da Austrália em 2017, derrotou… Venus Williams.

Numa análise lato sensu, não correu exatamente bem: as manas, que têm enquanto dupla nada mais, nada menos que 14 títulos do Grand Slam, perderam frente à dupla holandesa Lesley Kerkhove e Demi Schuurs por claros 6-2 e 6-3, com Serena, de 36 anos, a jogar muito abaixo do nível habitual na eliminatória que se disputou em Asheville. Contudo, strictu sensu, a derrota não significou grande coisa, na medida em que a equipa norte-americana já estava qualificada para a ronda seguinte da prova por seleções.

Grande significado terá tido para Serena ver a filhota Alexis Olympia, de apenas cinco meses, nas bancadas. “É uma sensação fantástica. É a primeira partida dela e fico feliz que tenha conseguido ver”, frisou Serena no final do encontro.

Alexis Olympia, ao colo do pai, que também se chama Alexis, assistiu ao regresso da mãe às competições oficiais

Alexis Olympia, ao colo do pai, que também se chama Alexis, assistiu ao regresso da mãe às competições oficiais

Richard Shiro/Getty

Agora só falta ver a mãe a ganhar, o que não deverá demorar muito mais tempo. “Honestamente, senti-me melhor do que estava à espera. Sinto que estou no caminho certo”, sublinhou ainda a antiga número 1 do Mundo, que rejeitou ainda ter jogado sem pressão de ganhar: “Se entrar no court com expectativas baixas, mais vale deixar de jogar. Isso nunca vai acontecer comigo. Na minha cabeça terei sempre de ser a melhor, terei sempre de ter expectativas altas. Estou OK com isso, sou assim mesmo”.

De momento, Serena Williams tem confirmada a presença no evento não oficial Tie Break Tens, em Nova Iorque, no início de março e lá mais para o final desse mês vai jogar o Torneio de Miami, um dos mais importantes do circuito feminino.