Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Look who's back: João Sousa elimina top-5 mundial em Indian Wells

O português está na terceira ronda do Masters 1000 de Indian Wells após vencer Alexander Zverev, em três sets (7-5, 5-7 e 6-4). E especial aqui é o facto de o alemão ser o atual número cinco do mundo e de João Sousa ter conseguido bater um tenista do top-5 apenas pela terceira vez na carreira

Diogo Pombo

Jeff Gross

Partilhar

"Vamoooooooos!"

O grito, mais como um rugido, foi tanto um sinal de alegria como de alívio. Mal deixou de vociferar o berro da vitória, João Sousa cerrou o dentes, apertou a pega na raquete, apontou-a para o sítio da bancada onde está o seu treinador e trancou o olhar. Tinha acabado de vencer Alexander Zverev, um tenista mais novo que ele, mais talentoso, com melhor ranking e mais ténis dentro dele, algo que não costuma acontecer assim tantas vezes. Por isso ele berrou, um festejo longo e barulhento, e o resultado justificava-o.

João Sousa bateu o alemão, que é o número cinco do mundo, em três sets (7-5, 5-7 e 6-4), fazendo um jogo dominador através da sua direita forte e bruta, revelando muita força onde um tenista mais precisa e onde muitas vezes lhe parece falar - dentro da cabeça. O português chegou a estar a perder por 2-5 no primeiro set e, resolvida essa desvantagem, ainda logrou crescer no encontro quando Sascha Zverev conquistou o segundo set.

Uma força sublinhada pelo português na mensagem áudio que, por costume, grava no telemóvel para o agente encaminhar para os jornalistas. "Obviamente, como podem imaginar, estou muito contente pela vitória. Não só por ter sido frente a um excelente jogador, mas pela forma como dei a volta a um encontro em que estava por baixo. Tem um sabor ainda mais especial. Joguei a um bom nível durante quase todo o encontro. Estive bastante bem em todos os capítulos. Mentalmente estive muito forte e daí a minha vitória", disse, com voz exausta, acabado "de [se] meter na cama".

A vitória de João Sousa é especial, também, pelo court onde aconteceu.

Indian Wells fica no estado da Califórnia, EUA, onde se realiza o primeiro Masters 1000 da temporada, categoria de torneios que estão logo a seguir aos quatro Grand Slams. É a primeira vez que o português, de 28 anos, se qualifica para a terceira ronda da competição, onde irá agora defrontar outro peso-pesado do ténis mundial, literal e figurativamente.

Milos Raonic é canadiano, tem 1,96m de altura e 96 quilos de peso e a posição que ocupa no ranking (38º) não reflete o que já fez no ténis: jogou uma final em Wimbledon e uma meia-final do Open da Austrália (ambas em 2016), tendo já sido terceiro da hierarquia mundial com um jogo de monstruosos serviços e winners de direita. E, para mal do português, o histórico dos duelos dá um rácio positivo para Raonic - três vitórias em outros tantos jogos.

O encontro está agendado para quarta-feira e João Sousa lá estará porque, como vimos, mudou a sua sorte este ano em grande estilo. O português já não vencia uma partida há um mês (desde o torneio de Sófia, na Bulgária) e, para já, leva um registo de 3-6 entre vitórias e derrotas.